segunda-feira, 27 de julho de 2009

O ENTRETENIMENTO E OS FILMES

Mais e mais a tendência de assistir filmes no sábado a noite tem se tornado comum e as antigas brincadeiras de roda tais como “Lá no Pântano”; “Marcha”, entre outras, estão caindo no esquecimento em muitos lugares. Por outro lado, Hollywood tem tomado cada vez mais lugar na vida dos Jovens e, apesar de muitos não irem ao cinema, o cinema tem sido levado de forma indiscriminada para dentro dos lares cristãos. No emaranhado de filmes com tendências espíritas e ensinamentos liberais nem sempre é fácil encontrar um bom filme para assistir. Valores como a corrupção, promiscuidade, adultério, violência, roubo, desonestidade tem sido exaltados e assimilados através de filmes que levamos para casa. Parece que assistir filmes é um “entretenimento” cada vez mais comum, contudo, devemos tomar cuidado com o que assistimos. Antes de locar um DVD, analise o seu enredo, e se estiver assistindo e perceber que o filme agride os princípios bíblicos desligue a TV.

Que filmes assistir? Nas últimas semanas assisti a dois filmes que acho por bem recomendar. Mas não assista apenas por diversão. Quando terminar, tome tempo para discutir sobre os aspectos positivos e negativos, isso estimulará o senso crítico.

O primeiro filme é “A Prova de Fogo”. O filme é baseado no livro “O Desafio do Amar” (foto ao lado) de Stephen e Alex Kendrick, que apresenta desafios diários para uma jornada de 40 dias para transformar o casamento. Recomendo que, além de assistir o filme, você leia o livro também.

O segundo filme é “A Jornada” que nos leva a reavaliar nossa condição espiritual e nos leva a fazer uma pergunta: Temos nos acostumado com o mal?
Abaixo o comentário de Michelson Borges sobre estes filmes:

PROVA DE FOGO: O casamento está em vias de extinção. A cada ano, aumenta o número de divórcios no mundo. E, mesmo entre aqueles que resistem à “solução” da separação, muitos apenas se suportam, vivendo infelizes debaixo do mesmo teto. O filme “A Prova de Fogo” (Fireproof, dos mesmos produtores de “Desafiando Gigantes” e “A Virada”, já indicados aqui) toca nessa ferida, aponta os prováveis e mais comuns motivos desse problema e propõe a solução para ele.Caleb Holt é capitão do Corpo de Bombeiros de Albany, EUA, tido como herói em sua cidade. A metáfora é evidente: ele salva pessoas quase todos os dias, mas é incapaz de salvar o próprio casamento. Percebendo a situação, o pai dele propõe um desafio antes de o casal partir para a separação. Relutante, Caleb aceita. (Detalhe: o ator principal é Kirk Cameron, que estrelou na adolescência uma série de sucesso e decidiu, depois, dedicar-se a projetos que promovessem o bem.)A capa do DVD traz o slogan “Nunca deixe seu parceiro para trás”, que se aplica tanto para bombeiros quanto para casais. Comentários no site do filme deixaram claro que ele consegue fazer um retrato bastante preciso da triste realidade da fragmentação do matrimônio. Muita gente se sensibilizou e se identificou com a situação desesperadora do capitão Caleb e sua esposa Catherine.O filme trata paralelamente e com certa discrição da batalha de todo homem (contra a lascívia) e de toda mulher (contra a vaidade). (Leia também: “A luta do homem e da mulher”. Com o relacionamento conjugal enfraquecido, Caleb é tentado pela pornografia na internet, enquanto Catherine começa a ceder às investidas de um jovem médico, em seu local de trabalho. O “desafio do amor” proposto pelo pai de Caleb consiste em colocar em prática um simples programa de 40 dias no qual o cônjuge realiza pequenas atividades diárias com o objetivo de reconquistar o parceiro. Esse desafio acabou virando livro, com o título The Love Dare (O Desafio do Amor).Quando chega à metade do desafio (lá pelo 20º dia), Caleb desanima ao perceber que nada parece estar dando certo. É aí que, mais uma vez ajudado pelo pai, ele percebe o que realmente está faltando em sua vida, e tudo muda – primeiro nele, depois na esposa. Afinal, como ensina o filme, não se pode dar aquilo que não se tem: o amor incondicional. Como e onde obtê-lo? É o grande “desafio” do filme.Com esse tipo de amor, todo relacionamento se torna “a prova de fogo”.

A JORNADA
O ano é 1890. O professor do Seminário Bíblico da Graça, Russell Carlisle (D. David Morin, de "Compromisso Precioso", outro bom filme), está prestes a publicar seu livro e pede aos colegas do seminário para endossarem a obra. Um dos membros da comissão, o Dr. Norris Anderson (Gavin MacLeod, de "O Barco do Amor"), se opõe à publicação do livro devido ao que ele considera um erro grave: falar de valores e moral sem mencionar a autoridade por trás desses valores - Jesus Cristo. Segundo Anderson, a publicação do livro de Carlisle poderia ajudar a demolir os pilares morais que sustentam a sociedade.Para provar que a idéia de que o ser humano pode viver moralmente sem Deus acarreta graves conseqüências, o Dr. Anderson desafia Carlisle a ver com os próprios olhos uma sociedade que abraçou essa doutrina. Como? Enviando-o mais de cem anos ao futuro através de uma máquina do tempo criada por John Anderson, o pai de Norris. A partir daí, o cenário é o de uma grande cidade norte-americana, cheia de tentações e de cristãos nominais que acham que podem ser bons, mesmo pouco conhecendo de Jesus e de Sua Palavra. A ficção científica pode ser meio "forçada", mas é compensada pelo bom roteiro, personagens e diálogos convincentes e pelos apelos e discursos de Carlisle. O toque de humor leve se mistura bem à proposta séria do filme de analisar a decadência moral do mundo que vive na iminência da volta de Jesus.Nem precisa dizer que Carlisle fica chocado e, quando retorna ao passado, resolve reescrever o livro e renomeá-lo de "Time Changer", que é o título original do filme, lançado em 2007.Deixando de lado alguns erros teológicos como o "inferno eterno" e o "arrebatamento secreto", é um filme que vale a pena ser visto.

Para dicas de outros bons filmes clique aqui.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

COMPARTILHE

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More