domingo, 16 de maio de 2010

EU OU DEUS?

“Aquietai-vos e sabei que eu sou Deus; sou exaltado entre as nações, sou exaltado na terra”. Salmos 46:10

O aviso estava no mural do saguão principal: “Teste para o time de vôlei da escola, hoje às 17hs”. Eu estava no segundo ano do ensino médio, durante toda minha carreira escolar eu havia sonhado e tentado representar minha escola em alguma modalidade esportiva. Embora tenha que confessar que nunca me destaquei em esporte algum, minha persistência, ou melhor, minha insistência, sempre foi muito boa.

O teste começou, o professor de educação física deu as instruções e todos os candidatos partiram para a ação. Pouco a pouco o professor começou a eliminar os reprovados enquanto o teste continuava a todo vapor. O mais impressionante é que eu permanecia fazendo o teste. De repente, o professor vai até o centro da quadra, coloca todo seu fôlego no apito vermelho pendurado em seu pescoço, levanta a mão e diz as seguintes palavras: “Parem tudo e cheguem perto de mim!”

O professor continuou: “eu precisava selecionar doze, muitos vieram ao ginásio hoje, mas o time está formado, todos vocês se apresentem amanhã no mesmo horário, vamos começar os treinamentos para o campeonato estadual”.

Eu fui para casa radiante, não podia acreditar que finalmente eu participaria de um campeonato esportivo representando minha escola. Mas logo veio o pensamento de que treinos e jogos acontecem no sábado. Imediatamente comecei a clamar a Deus para que Ele me desse coragem de conversar com o professor a respeito de minha fé.

No dia seguinte lá estava eu, fui um dos primeiros a chegar. Ao final do treino esperei todos os alunos irem embora, tomei coragem e fui conversar com o professor. Contei-lhe que era adventista do sétimo dia e consequentemente guardador do sábado. Assim que terminei de falar, o professor simplesmente disse: “Se quiser continuar no time, vai ter que conversar com o seu pastor para que ele permita que você jogue aos sábados”.

Você já deve ter se deparado com esta frase: “Fale com o seu pastor para liberá-lo do sábado”. Homens e mulheres têm perdido a noção de que o problema não é com o pastor ou com homem algum e sim com Deus. Problemas sociais, famílias destruídas, aumento da criminalidade e estresse desenfreado são emblemas do nosso planeta. E quando se questiona a solução para tudo isso, as respostas são buscadas no homem, o próprio gerador destas catástrofes. A observância do sábado está intimamente ligada a tudo isso, porque trata-se da posição que dou a Deus em minha vida.

O sábado foi criado para o homem, no entanto, estabelecido por Deus. Quem determinou a santidade do sábado foi o próprio Criador e aqui cabe uma pergunta reflexiva, pode o homem discutir com Deus? A grande ironia é que em alguns momentos, sem perceber, acabo discutindo ou tentando negociar com Deus. Envolvo-me em situações comuns da vida que parecem inofensivas, mas que ao fim resultam em sérios problemas espirituais. Situações como comprar os ingredientes para a sobremesa do almoço de sábado minutos depois em que o sol se pôs, com a desculpa de que não deu tempo para comprar durante a semana. Situações como chamar as crianças para tomar banho depois de um dia de muita recreação na hora em que o sol está se pondo, sendo que elas já deveriam estar prontas a esse horário para adorar a Deus.

Observar o sábado e me preparar para este dia santo é uma tarefa que diz muito acerca de quem é Deus em minha vida. Mostra também a importância que dou à sua lei, se a valorizo ou se a menosprezo. Meu professor de vôlei não sabia o que estava dizendo, mas será que eu, conhecedor da vontade de Deus, sei o que estou fazendo com a Sua ordem?

Pr. Maiquel da Silva Nunes
Associação Sul-Mato-Grossense - UCOB

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

COMPARTILHE

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More