quinta-feira, 6 de maio de 2010

O PODER DA COERÊNCIA

“...e preservou a Noé, pregador de justiça, e mais sete pessoas, quando fez vir o dilúvio sobre o mundo de ímpios.” II Pedro 2:5

Sou filho, neto de pastor. Fui motivado a escrever essa meditação para compartilhar uma das fortes razões porque decidi ser pastor. Recebi o chamado do Senhor quando estava com seis anos, na Igreja Central de Joinville, ao ouvir o testemunho de dois missionários da Amazônia. Mas a razão que me ajudou a fortificar meu chamado com certeza foi a coerência entre as pregações de meu pai pastor e a pratica do pastor pai.

Muitos pregadores têm facilidade em expressar lindas mensagens e exortações. Como cristãos sabemos como é difícil viver as verdades práticas do cristianismo, tais como, fazer a comunhão pessoal, guardar o sábado, fazer culto familiar, cuidar da alimentação e do corpo, crer e seguir as orientações do espírito de profecia, ter um pacto de ofertas sistemáticas, ajudar os necessitados, dar estudos bíblicos, dedicar tempo para a família, tratar com carinho a esposa e filhos, pagar as contas em dia, ter bom relacionamento com o semelhante e quando errar, pedir perdão e estar disposto a perdoar.

Meu pai já está jubilado a quase duas décadas. Ele não é perfeito. Ele não é e nem foi um pregador que arrebatava multidões, mas as mensagens que pregava no púlpito eram vividas em nosso lar. Os sermões pregados por ele eram coerentes com as sua vida e suas obras. Ele acreditava naquilo que pregava ao viver um cristianismo prático como o relatado no parágrafo acima.

Não sou adepto do mito do pastor anjo, do pastor perfeito, penso, porém, que como eu, a maioria dos nossos filhos adolescentes, jovens, esposa e irmãos da igreja preferem ouvir coerência a sermões eloqüentes. Prefere ver e ouvir vidas transformadas a ouvir palavras demagógicas e vazias.

Hoje, quando sou tentado a pregar um sermão vazio, procuro lembrar-me do meu pai e do poder da coerência. Lembro-me com carinho dos sermões vivos que meu pai pregou e continua pregando. Sermões cheios de poder, do poder da coerência. Então, mudo de sermão ou procuro mudar meu estilo de vida. Não quero pregar um bonito sermão para a minha igreja, mas um sermão que a minha família dê crédito. Como Noé, quero salvar também minha família.

Pr. Kesil Ebinger

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

COMPARTILHE

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More