quarta-feira, 2 de junho de 2010

MAIS QUE VENCEDOR

“Então aqueles homens foram atados com as suas capas, seus calções, e seus chapéus, e seus vestidos, e foram lançados dentro do forno de fogo ardente.” Daniel 3:21

Lá estavam eles, Sadraque, Mesaque e Abedenego. Estavam diante de uma situação que conforme a decisão tomada poderiam perder a própria vida. Eles foram levados pra lá como escravos por Nabucodonosor. O rei de Babilônia, construiu uma estátua de 60 côvados de altura por 6 de largura. Segundo Dr. Russel Champlin, era mais ou menos 27 metros de altura por 2,70 de largura.

A ordem do rei era clara: quando tocarem os instrumentos todos deverão dobrar seus joelhos em adoração. Caso fossem fiéis a Deus, não se curvando diante da estátua, a fornalha seria acesa 7 vezes mais.

Sabe de uma coisa, todas às vezes que decidimos ser fiéis a Deus o inimigo ascende uma fornalha. Você decide ser fiel na devolução dos dízimos e aí a fornalha de um problema financeiro é acesa, você decide ser fiel na guarda do sábado e a fornalha da dificuldade de emprego é acesa, etc. É sempre assim, Satanás quer destruir a nossa fé, a nossa esperança.

Mas, a Palavra de Deus diz que eles foram jogados na fornalha e não se queimaram, nem cheiro de fumaça havia. Glória a Deus! A Bíblia diz que havia um 4º ser, semelhante ao Filho do homem... Jesus estava com eles. Quando decidimos ser fiéis o inimigo ascende uma fornalha. Mas não importa a fornalha, se estamos com Cristo já somos mais que vencedores.

Quando fui servir ao Exército Brasileiro tinha um ano de batizado. Alistei-me no Batalhão de Infantaria, em Niterói, RJ. Logo após o primeiro mês percebi que teria problemas com o sábado. Fiquei muito preocupado. Fui ao comandante da companhia e falei-lhe de minha fé e sobre a guarda do sábado e ele me disse: aqui não há religião e nem sábado. No sábado seguinte estava escalado, pedi para trocar mas em vão. Tive medo, muito medo. Mas pedi a Deus que fizesse de mim um soldado de Cristo.

Faltei e fui à Igreja adorar a Deus. Fiquei 8 dias detido. Esta punição ordena que você fique no quartel, sem poder ir pra casa. Após uma semana, lá estava o meu nome de novo para serviço no sábado. Faltei de novo e peguei 15 dias, depois faltei de novo e peguei 30 dias, depois mais 30... Até que me deram 15 dias de cadeia. Havia no meu quartel uma cadeia para presos militares. Era uma cela como qualquer outra. Não via a luz do sol, grades grossas, etc. Foi muito difícil. Emagreci muito. Enfim, “comi o pão que o diabo amassou”. Mas, segurei nas mãos de Deus.

O pastor Ivani que era o pastor do distrito na ocasião, foi ao quartel para falar com o comandante. Explicou que a guarda do sábado era princípio de Deus contido em Sua Palavra. Após os 15 dias de prisão o comandante do batalhão me chamou em seu gabinete. Era a minha chance! Levei um folheto que tinha a figura da Volta de Jesus e falei do amor de Deus. Ele me parabenizou e pediu que voltasse para a companhia.

Naquela tarde estava eu em forma quando o sargento que fazia a escala de serviço leu a ordem do dia. E para a minha surpresa ele disse: Por ordem do comandante do Batalhão o soldado 915 Vaz (que era eu) a partir desta data não tirará mais serviços aos sábados. Aleluia! Ergui meus ombros e estufei meu franzino peito e com lágrimas de emoção vi um quartel de mais de 2 mil soldados ficar surpreso como podia um único soldado vencer todo um sistema militar? É o poder de Deus! Mas, o que eles não sabiam é que a ordem não vinha do comandante do Batalhão, e sim do comandante do Universo, O Senhor Jesus. A Bíblia diz, no verso 28 do capítulo 3 de Daniel: disse Nabucodonosor: “Bendito seja o Deus de Sadraque, Mesaque e Abedenego”. Lembre-se: não importa a fornalha, se estamos com Cristo já somos mais que vencedores. Amém!

Pr. Euzélio Vaz Filho

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

COMPARTILHE

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More