terça-feira, 27 de julho de 2010

Horas extras podem prejudicar o coração

"Trabalhar muitas horas extras pode ser bom para seu bolso, mas ruim para o coração. Segundo estudo recentemente publicado no European Heart Journal, trabalhar três ou quatro horas além do horário normal - que é de sete horas diárias nos Estados Unidos -, está associado a um aumento de 60% nos riscos de problemas como infarto, angina e morte por doença cardíaca.

"Acompanhando, por uma década, cerca de 6 mil funcionários públicos britânicos, os pesquisadores concluíram que “a importância de se ter um bom equilíbrio entre horas de trabalho, tempo de lazer e tempo com a família pode ser ainda maior para o coração do que se pensava”. E, de acordo com os autores, as pessoas que trabalhavam mais além do tempo eram mais propensas a ter traços de comportamento tipo A, incluindo agressividade, hostilidade, estresse psicológico e problemas de sono.

"Os resultados indicaram ainda que os homens eram seis vezes mais propensos do que as mulheres a ficarem mais de três horas trabalhando após o expediente. Os casados apresentaram quase nove vezes mais chances de ficar mais tempo no trabalho do que os solteiros. Os pesquisadores destacam, porém, a necessidade de mais estudos para confirmar a relação entre o estresse associado às horas extras e o risco cardiovascular, e para desenvolver abordagens que reduzam essa tendência." [Blog Saúde]

Nota: A temperança é importante em todas as áreas da vida. "Alguns se tornam doentes por excesso de trabalho. Para esses, o descanso, a libertação do cuidado e um regime reduzido são essenciais à restauração da saúde. Para os que estão mentalmente fatigados e nervosos devido a trabalho contínuo e restrita limitação de ambiente, uma visita ao campo, onde podem viver uma vida simples, livre de cuidado, pondo-se em íntimo contato com as coisas da natureza, será muito salutar. Vagar pelos campos e matas, apanhando flores, escutando os cânticos dos pássaros, fará por seu restabelecimento incomparavelmente mais que qualquer outro meio" A Ciência do Bom Viver, 236

Além disso "os que se acham empenhados em estudo, devem ter folga. A mente não deve estar continuamente submetida a uma intensa atividade, pois o delicado maquinismo mental vem a gastar-se. O corpo, da mesma maneira que a mente, precisa de exercício. Mas é necessário haver grande temperança nas diversões, bem como em qualquer outra ocupação."Conselhos aos Pais Professores e Estudantes, 333. Pense nisto!

Pr. Evandro Fávero

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

COMPARTILHE

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More