segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Não ter amigos é tão perigoso como fumar ou consumir álcool em excesso

Não ter amigos pode ser tão perigoso para a saúde como fumar ou consumir álcool em excesso, diz um estudo de cientistas americanos publicado hoje no site da revista "PLoS Medicine".

Os especialistas asseguram que o isolamento é ruim para a saúde e, no entanto, esta é uma tendência cada vez maior em um mundo industrializado no qual "a quantidade e a qualidade das relações sociais estão diminuindo enormemente".

Estudos prévios demonstraram que as pessoas com menos relações sociais morrem antes daqueles que se relacionam mais com amigos, conhecidos e parentes.

Por isso, preocupados com o aumento de pessoas que se relacionam menos com as outras, os cientistas analisaram como um isolamento excessivo pode afetar a saúde. Para isso, os pesquisadores recorreram a 148 estudos prévios com dados sobre a mortalidade de indivíduos em função de suas relações sociais.

Após analisar os dados de 308.849 indivíduos acompanhados durante uma média de 7,5 anos, os cientistas descobriram que as pessoas com mais relações sociais têm 50% mais chances de sobrevivência do que quem se relaciona menos com outras pessoas.

Segundo os especialistas da Universidade Brigham Young, do estado do Utah, e do Departamento de Epidemiologia da Universidade da Carolina do Norte que participaram do estudo, a importância de ter uma boa rede de amigos e boas relações familiares "é comparável a deixar de fumar e supera muitos fatores de risco como a obesidade e a inatividade física".

Estes resultados também revelam que, analisando a idade, o sexo ou a condição de saúde do indivíduo, a integração social pode ser outro fator levado em conta na hora de avaliar o risco de morte do indivíduo.

"A medicina contemporânea poderia se beneficiar do reconhecimento de que as relações sociais influem nos resultados de saúde dos adultos", apontam os responsáveis pelo estudo, para quem médicos e educadores poderiam advertir sobre a importância da relações sociais da mesma forma que defendem o antitabagismo, uma dieta saudável e a realização de exercícios. (UOL)

Nota: É bem verdade que as más amizades corrompem os bons costumes. Mas também é verdade, como demonstrou a pesquisa, que o ser humano não é uma ilha. Deus o criou o ser humano para viver em comunidade. Ele disse: “Não é bom que o homem esteja só...” Gênesis 2:18.

“Misterioso é o laço que liga entre si os corações humanos, de modo que os gostos, os sentimentos e os princípios das duas pessoas ficam intimamente associados. Um apanha o espírito e copia as maneiras e as ações do outro. Como a cera toma a forma do sinete, assim a mente recebe a impressão produzida pelo intercâmbio e o convívio. Talvez a influência seja inconsciente, todavia não será menos poderosa.” Conselhos sobre Saúde, 414.

Mas onde encontrar verdadeiros amigos? Certamente um dos ambientes propícios é onde Deus habita no coração, onde existe companheirismo, onde é possível compartilhar as bênçãos, alegrias e tristezas. O Pequeno Grupo é um ambiente ótimo para desenvolver a amizade salutar e verdadeira. Ali “o calor da verdadeira amizade, o amor que liga coração a coração, é um antegozo das alegrias do Céu”. Ciência do Bom Viver, 360

Por isso a Bíblia diz que “uma pessoa correta traz bênçãos para a vida dos outros e quem aumenta o número de amigos é sábio” Provérbios 11:30 e que “algumas amizades não duram nada, mas um verdadeiro amigo é mais chegado que um irmão” Provérbios 18:24 (BLH).

Que Deus te ajude a desenvolver amizades verdadeiras.

Pr. Evandro Fávero

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

COMPARTILHE

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More