terça-feira, 10 de agosto de 2010

Pensar em Deus acalma os crentes e estressa os ateus

Os investigadores determinaram que pensar em Deus pode ajudar a aliviar a ansiedade associada a cometer erros. No entanto, a conclusão só é válida para pessoas que acreditam em um Deus.

Os pesquisadores mediram as ondas cerebrais de um tipo particular de reação, enquanto os participantes do estudo cometeram erros em um teste. Aqueles que tinham se preparado para o teste com pensamentos religiosos tiveram uma resposta menos proeminente a erros do que aqueles que não tiveram.

Segundo os especialistas, 80% dos humanos têm algum tipo de crença religiosa. Os psicólogos querem estudar porque as pessoas têm essas crenças, explorando como elas funcionam, e para que elas possam servir.

Com dois experimentos, os pesquisadores mostraram que quando as pessoas pensam sobre religião e Deus, seus cérebros respondem de forma diferente, de uma forma que lhes permite ter contratempos e reagirem com menos sofrimento aos erros que provoquem ansiedade.

Os participantes ou escreveram sobre religião ou realizaram uma tarefa com palavras relacionadas à religião e Deus. Em seguida, os investigadores gravaram a atividade do cérebro à medida que eles completaram uma tarefa informatizada, que foi escolhida porque tem uma alta taxa de erros.

Os resultados mostraram que quando as pessoas foram condicionadas a pensar sobre religião e Deus, consciente ou inconscientemente, isso diminuiu a atividade cerebral em áreas compatíveis com o córtex cingulado anterior (CCA). O CCA é associado com uma série de coisas, incluindo a regulação de estados corporais de excitação e alerta quando as coisas estão indo mal.

Curiosamente, os ateus reagiram de forma diferente. Quando eles se prepararam inconscientemente com ideias relacionadas a Deus, o CCA aumentou a sua atividade. Os pesquisadores sugerem que, para as pessoas religiosas, pensar em Deus pode fornecer uma maneira de ordenar o mundo e explicar eventos aparentemente aleatórios e, portanto, reduz seus sentimentos de angústia. Em contrapartida, para os ateus, os pensamentos de Deus podem contradizer os sistemas de significado que eles acreditam, e assim causar-lhes mais sofrimento.

Os psicólogos pensam que esses resultados podem ajudar a compreender algumas das conclusões interessantes sobre as pessoas que são religiosas. Por exemplo, há evidências de que pessoas religiosas vivem mais tempo e tendem a ser mais felizes e saudáveis.

Os ateus não devem se desesperar, entretanto. Os pesquisadores acham que o mesmo efeito pode ocorrer com qualquer sistema de significado que fornece estrutura e ajuda as pessoas a compreender o seu mundo. Talvez os ateus se saíssem melhor se fossem condicionados a pensar sobre suas próprias crenças. (Hype Science)

Nota: Deus criou o ser humano e colocou em seu coração um espaço que só Ele pode preencher plenamente. “Tudo fez Deus formoso no seu devido tempo; também pôs a eternidade no coração do homem...” Eclesiastes 3:12

Portanto o homem foi criado para depender e crer em Deus e só será plenamente feliz quando esta necessidade for suprida. É por isso que “há evidências de que pessoas religiosas vivem mais tempo e tendem a ser mais felizes e saudáveis”.

Também há evidências de que aquele que conhece plenamente os ensinamentos bíblicos e frequenta uma religião vive melhor, com mais saúde, tem paz, esperança e sua família é feliz.

"Em um estudo com 5286 pessoas da Califórnia, que pertenciam a alguma igreja, se descobriu que a taxa de mortalidade era menor que a daqueles que não pertenciam a nenhuma igreja. Apresentaram menos câncer, pressão arterial e cardiopatias. Outro estudo mostrou que são menos propensos a depressão, ao suicídio e adições. (Fonte: Seleçoes, Dez. 1999).

“Não há como provar científicamente que Deus cura, mas o que me parece suceptível de demonstrar é que aquele que nEle crê, nEle tem efeitos benéficos... É quase inquestionável que a fé e as práticas religiosas saudáveis contribuem para a melhoria dos enfermos.” (Dr. Dale Mathews, chefe do Centro Médico da Universidade de Georgetown, em Washington - Seleçoes, Dez. 1999).

Por isso a Bíblia diz: “E conhecereis a verdade e a verdade vos libertará” João 8:32.

A matéria afirma que “talvez os ateus se saíssem melhor se fossem condicionados a pensar sobre suas próprias crenças”. Pergunto: Se há uma crença, por que não incluir a crença de Deus em sua vida? Uma boa sugestão seria talvez seguir o exemplo do filósofo ateu Heinrich Heine ou do ex-ateu Antony Flew. Pense nisto e que Deus te abençoe!

Pr. Evandro Fávero

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

COMPARTILHE

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More