domingo, 3 de outubro de 2010

Frutos verdadeiros ou só folhas?

“Por que vocês me chamam ‘Senhor, Senhor’, e não fazem o que eu digo?” Lc 6:46 (BLH).

Na vida, o que fazemos sempre é mais importante do que falamos. Quando o cristão diz: “Senhor, Senhor”, na sua vida precisa demonstrar suas afirmações verbais.

Para mostrar isso, Jesus ilustrou com o caso da figueira no caminho de Betânia para Jerusalém. De longe, a árvore prometia estar carregada de frutos, porque estava cheia de folhas. Normalmente, os figos se desenvolvem antes das folhas na figueira. Portanto, quem olhasse a árvore tinha o direito de esperar muitos frutos.

Esta figueira, porém, era apenas aparência. E, sua aparência era falsa. Quando observada de perto e com atenção, havia grande diferença entre a realidade da figueira e o que as pessoas esperavam dela.

Parecido com essa figueira, é um poço, que conta-se, havia em Xangai, na China. Tinha o nome de Poço que Borbulha. Diz-se que alguém poderia imaginar, antes de conhecer o tal poço, encontrar uma corrente de água limpa para matar a sede.

Mas a realidade encontrada era bem outra. Uma poça de água parada e mal cheirosa. Tinha algumas bolhas, mas eram apenas gazes sendo liberados para a superfície. Assim, o nome mesmo bonito era um engano para quem chegasse ali com sede.

De igual modo, fazemos questão de sermos chamarmos cristãos. Mas, estamos perto, próximos do nome que levamos e da fé que dizemos professar? Quanto do que conhecemos sobre Cristo e Sua vontade nós temos seguido e obedecido?

Uma classe de crianças comentava sobre a resposta de obediência que os anjos têm à vontade de Deus. Uma criança disse: “Eles fazem a vontade de Deus de todo o coração”. Outro acrescentou: “Eles cumprem muito bem”. E uma garotinha acrescentou: “Eles cumprem a vontade de Deus sem perguntar nada”.

Certamente, essa também deve ser a forma de nós cristãos atendermos. Fazendo assim vamos demonstrar: (1) que desconfiamos de nós mesmos; (2) que entregamos nossa vontade a Jesus; (3) que amamos a Cristo mais que a nós mesmos; (4) que confiamos completamente na Sua sabedoria, não na nossa.

Quando tivermos realmente estas atitudes, nossa vida religiosa será então mais que um servir de palavras, mais que dizermos “Senhor, Senhor”.

Sem importar quão de perto possamos ser vistos ou até examinados, nunca iremos decepcionar, porque estaremos dando frutos, não apenas folhas, não apenas aparências. Seremos cristãos de oração e obediência!

Felizes frutos! Feliz semana!

Pr. Thomas Kloppe Distrital em Laguna, SC.

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

COMPARTILHE

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More