domingo, 21 de novembro de 2010

A comunhão produz missão e muito mais

E perseveravam na doutrina dos apóstolos e na comunhão, no partir do pão e nas orações. Atos 2:42

É maravilhoso que nossa igreja enfatize tanto que seus membros procurem viver a comunhão, como o faziam os cristãos apostólicos. Não é outra coisa que reafirmar o convite bíblico: Deus nos chamou “à comunhão de seu Filho Jesus Cristo” 1 Coríntios 1:9.

A profunda comunhão na igreja produz a motivação necessária para que os irmãos saiam naturalmente para pregar. Isso não é novidade. Mas também sabemos que quando existe comunhão, tudo melhora.

Como pastores promovemos, lutamos, trabalhamos e oramos para que as igrejas vivam em comunhão. Por outro lado, várias vezes durante a semana ouvimos a respeito de problemas e de pecados que os irmãos nos contam. Recebemos várias informações negativas durante nosso ministério. Mas são os momentos positivos os que Deus usa para nos dar novas forças em nosso ministério.

Em um pequeno povoado que tenho de visitar e apoiar, os irmãos estão iniciando a construção do futuro templo. Fiquei muito impressionado ao ver os jovens, as irmãs adultas, as crianças e as idosas cavando os buracos para fazer os fundamentos. Nesse grupo formado por 40 irmãos, quase não há homens adultos que possam ajudar na construção. Mas a comunhão é tão forte, tão magnética e contagiante, que todos, a cada domingo se reúnem para colaborar “suar a camisa por um bom tempo”. No final, colocam-se ao redor de uma mesa com alimentos gostosos e participam juntos da refeição, como na antiga igreja apostólica.

É verdade que a Comunhão produz Missão, mas favorece muitas outras coisas! Até mesmo o pastor que passou toda uma semana ouvindo a respeito de problemas, enfermidades, etc. acaba com o “coração transbordante de alegria” ao contemplar os irmãos vivendo em comunhão, isso o motiva.

É verdade que a comunicação produz motivação no pastor que, por sua vez, deverá motivar as igrejas. Graças à comunhão dos irmãos pode-se ingressar em um circuito de bênçãos, cujos efeitos maravilhosos potencializam nossos dons e os resultados são notórios.

Ellen G. White disse: “Quão pouco conhecemos de fato da doce comunhão com Deus!” Manuscrito 24, 1892.

À medida que conhecemos aos irmãos e vivemos esses doces momentos, todos ficamos motivados e os problemas se tornam pequenos diante das grandes bênçãos do Senhor.

Que maravilhoso é que a comunhão com Deus, em primeiro lugar, e a comunhão entre os irmãos deem ao ministro essa vitalidade e entusiasmo que repercute por toda a eternidade!

Pr Nicolas F. Luzardo
Misión Argentina del Noroeste - UA

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

COMPARTILHE

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More