domingo, 28 de novembro de 2010

Deus segura nossa mão

“Porque eu, o Senhor, teu Deus, te tomo pela tua mão direita e te digo: Não temas, que eu te ajudo.” (ARA 2a ed)

“Te tomo pela tua mão direita”, entre vários, pode significar: acordo entre duas partes; satisfação mútua com um compromisso; amor como quando um jovem segura a mão de sua amada; significa também um compromisso de amizade entre duas pessoas.

Mas, quando um pai segura com firmeza a mão de seu filho ou filha ao andarem juntos, “tomar pela tua mão direita”, assume novos significados. Nesse aperto de mãos acha-se envolvido: o reconhecimento da pequenez e fraqueza do filho em contraste com a força do pai; representa a inexperiência do filho à maturidade do pai; de passos vacilantes que são firmados por passos confiantes; da incapacidade e imaturidade ligada à aptidão de manejar e solucionar qualquer situação; do temor que se apóia na coragem; da inocência ligada à prudência e à sabedoria.

“Eu... te tomo pela tua mão direita”, é a promessa que temos de Deus. Aceitando sermos tomados pela mão a nossa confiança não está em nossa capacidade para segurar a mão de Deus, mas na de Deus em tomar a nossa.

Conta-se que, algum tempo atrás, uma garotinha e seu pai passavam pelos trilhos de trem. Chegando a um barrando, o rio passava muitos metros abaixo. A menina não tinha noção do perigo, mas seu pai sabia, e segurou mais apertada a mão da filhinha. A certa distância, quase ao meio da travessia, a criança escorregou e começou a cair entre os dormentes para o rio lá embaixo. Mas foi salva porque seu pai estava segurando com firmeza sua mãozinha, e conseguiu puxá-la novamente para a segurança.

Esta deve ser a espécie de relação que o cristão mantém com o Pai. Confia na força de Deus, não na sua. Como diz o pensamento a seguir: “Coisa alguma é aparentemente mais desamparada e na realidade mais invencível, do que a alma que sente o seu nada, e confia inteiramente nos méritos do Salvador. Pela oração, pelo estudo de Sua Palavra, pela fé em Sua constante presença, a mais fraca das criaturas humanas pode viver em contato com o Cristo vivo, e Ele a segurará com mão que nunca a soltará.” A Ciência do Bom Viver, 156.

E quando deixamos que Deus nos segure, certamente, poderemos ouvi-Lo dizer: “Não temas, que eu te ajudo”.

Que maravilhoso Pai nós temos! Quando deixarmos que nos segure pela mão direita, poderemos caminhar com Seu poder, amor e sabedoria, pois confiando seremos erguidos e estaremos a salvo nas inevitáveis quedas da vida. Feliz semana!

Pr. Thomas Kloppe
Pastor distrital em Laguna – SC

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

COMPARTILHE

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More