quinta-feira, 3 de março de 2011

A vida

Combati o bom combate, completei a carreira, guardei a fé. II Timóteo 4:7

O texto bíblico de Eclesiastes 1:4-11 é no mínimo intrigante. Pode um escritor inspirado ser tão pessimista em relação à vida? Se nossa existência é uma mera sequência de acontecimentos, não passamos de máquinas programadas, nosso destino já está traçado e, no momento marcado, o fim chegará, inexoravelmente.

Esta visão destruidora e desalentadora “congela” o coração até do mais otimista. O tempo passa, nada acontece, tudo permanece do mesmo jeito; dia vai, dia vem, a vida segue seu rumo; o sol se levanta, se põe e volta para o seu lugar; os ventos sopram, os rios correm para o mar. Sempre e constantemente uma eterna mesmice.

Alguns, infelizmente, têm apenas esta visão limitada da vida. Reclamam de tudo. Vivem das glórias do passado ou apenas esperando um futuro que provavelmente nunca chegará. Esquecem que o presente, o que temos agora, é muito importante. Deixam de viver, buscando algo que jamais terão ou que nunca voltará.

Os escritores árcades usavam a expressão “carpe diem” - aproveitar o dia. Para eles a vida deveria ser vivida naquele momento, pois no futuro não existia nada de bom para se esperar. Então deveriam aproveitar a vida e vivê-la intensamente. Estavam equivocados, mas a premissa era verdadeira. Aproveitar o dia, viver a vida sem reclamações, ser feliz com aquilo que se tem, ter sonhos, mas não viver num mundo de ilusões; lutar por um ideal, mas não ficar desanimado se ele demora a chegar.

A vida é intensa, cheia de desafios, repleta de atividades, nada é igual. Muito embora haja ciclos que inevitavelmente ocorram, isso não significa que nossa existência precisa estar atrelada a eles. Estamos ligados ao ciclo da água, dos ventos, do sol, mas estes apenas nos apoiam, dão suporte à nossa vida, não a dirigem. Coitado daquele que supõe estar preso à roda da vida; sua existência é patética. Não vive, apenas vegeta. Espera a hora e o momento em que sua pobre e sofrível existência chegará ao fim.

As palavras de Paulo, registradas em II Timóteo 4:7: “Combati o bom combate, completei a carreira, guardei a fé. Desde agora a coroa da justiça me está guardada, a qual o Senhor, justo juiz, me dará naquele dia...”, refletem ânimo e vitória. São palavras de alguém que não se contentou com a mesmice da vida e tornou sua existência uma dádiva. Todos aqueles que a leem se sentem envolvidos por uma atmosfera de vitória.

A vida é combate, é luta. Nada é igual, as coisas mudam. O rio segue seu rumo, porém, antes, fertiliza todo o vale.

Um poeta chinês da dinastia Tang escreveu: “Colha a flor quando florescer, não espere até não haver mais flores, só galhos a serem quebrados.”

Pr Marcos Bentes

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

COMPARTILHE

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More