sexta-feira, 1 de abril de 2011

Resumo da Lição 01 da Escola Sabatina

CLIQUE NA IMAGEM AO LADO PARA BAIXAR A LIÇÃO EM POWER POINT

Título

“No tear do céu”

Texto-chave
“Como são felizes aqueles que têm suas transgressões perdoadas, cujos pecados são apagados!” (Romanos 4:7, NVI)

Objetivos

1. Saber: reconhecer a profundeza de nossa depravação e a perfeição completa do dom de justiça e do viver correto que Cristo oferece.

2. Sentir: sua profunda necessidade de ser crucificado com Cristo e de ser ressuscitado para a vida em Cristo.

3. Fazer: apoderar-se do que Cristo fez por nós quando nos cobriu com sua justiça e avançar entregando diariamente nossa vontade à Ele.

Verdade Central
Cristo é o substituto e garantia do pecador, e o seu manto da justiça é um dom imerecido e gratuito. No entanto, temos de aceitar suas provisões, entregando diariamente a Deus a vontade e os desejos. Devemos deixar que Cristo viva Sua vontade e Seus desejos em nossa vida.


Lição de Domingo: Olhando-se no espelho

A lei é muitas vezes comparada a um espelho na Bíblia.
Qual cristão, não importando quão fiel seja, ao olhar no espelho, pode alegar algum tipo de justiça própria? Qual cristão, olhando no espelho, não fica horrorizado com o que sabe que se esconde sob a superfície?

Analisando Isaías 64 concluímos:

1. Situação: O pecador não tem saída. Sua Justiça própria é impotente. Seu caráter está tão sujo como um “trapo de imundícia” (como uma espécie de absorvente feminino usado). Tipo de coisa que só presta para o lixo.

2. Permissão: O que lhe resta é perceber as manchas e diante da grave situação, permitir que Cristo mude a situação.

3. Transformação: O ser humano é totalmente mau, mas em Cristo existe esperança e poder para a transformação.

Lição de Segunda-feira: Justiça imputada

Quando olhamos no espelho, nos desesperamos por toda a imundícia percebida. Quanta sujeira escondida. Que esperança temos então?

1. Temos uma grande esperança, e o termo teológico para esta esperança é justiça imputada. O que significa isso?
a) É a perfeita justiça de Jesus.
b) É como um manto feito no “tear do céu” e concedido a nós pela fé.
c) Significa substituir nossa vida pecaminosa por sua vida sem pecado.
d) Ela vem de fora de nós, é creditada a nós, e nos cobre completamente.

2. Então como em entender a justiça imputada no contexto da vida de Abraão? O apóstolo Paulo relata em Romanos 4:1-7, que Abraão creu e as suas boas obras foram resultado desta fé. Ele creu na certeza do Cordeiro de Deus, antes do acontecido.

3. O preço pago, o cordeiro de Deus, o sacrifício, são os mesmos para Abraão e para nós. A diferença é só o ponto no tempo. Ele creu antes da Cruz e nós depois, porém, a justiça de Cristo é tão abrangente que alcança o passado, o presente e o futuro, concedendo a todo o que crê, a eternidade.

Lição de Terça-feira: Sem a Lei

A lei de Deus tem suas funções específicas, ela também é eterna, santa e imutável. A redenção não é função da lei, mas, do Redentor: Jesus Cristo. Somos justificados pela fé, salvos pela graça e julgados pelas obras.

1. Mesmo um cristão fiel há muitos anos, reconhece pela sua experiência que só pela graça de Cristo pode vencer o pecado, obter vitórias, superar os defeitos de caráter, amar os inimigos. Só pela graça.

2. “Na condição de pecadores, a justiça que nos salva, a justiça de que precisamos, nos cobrindo como um vestido, é uma justiça que se manifesta “sem a lei”“. Em outras palavras, é a justiça de Jesus, a retidão de Sua vida, a justiça que nos traz “a redenção que há em Cristo Jesus”.

3. A redenção está nEle, não em nós mesmos nem no cumprimento da lei, e essa redenção se torna nossa pela fé.

Lição de Quarta-feira: A roupa faz o homem

Que aspectos de sua vida revelam a realidade de sua experiência com Deus?
Quais são as áreas nas quais você está lutando?

Deve existir compatibilidade entre o que somos e fazemos. Mesmo que tentemos disfarçar, nossos atos refletem o que assumimos no interior.

1. Tão importante quanto aceitar a Jesus como nosso Salvador é permitir que Ele seja o nosso Senhor. Ao receber o manto da Justiça de Cristo, assumimos um compromisso total de permitir que Ele coloque em nossa vida Seus atributos de caráter.

2. A graça é obra de um momento, a santificação é obra gradativa, de uma vida, onde recebemos poder para obedecer e produzir boas obras.

3. Fomos revestidos pela Justiça de Cristo, então devemos ter uma vida de:
a) Constante relacionamento com Cristo.
b) Renúncia ao egoísmo.
c) Busca e permanência no que é santo.
d) Dependência dEle.

Lição de Quinta-feira: Graça barata e legalismo

A compreensão de que a obediência vem como um dom nos livra de dois perigos: graça barata e legalismo.

1. Você já deve ter ouvido a expressão “uma vez salvo, salvo para sempre”, soando como a facilitação do caminho par o reino dos céus, porém, apesar de atrativa, é o sinônimo do que chamamos de “graça barata”. Pensar que não importa o que fazemos, desde que Cristo esteja em nosso coração, é um engano. Se Cristo realmente vive em nosso coração, boas ações devem, necessariamente, ser o resultado.

2. Ao mesmo tempo, não é menos fatal pensar que podemos ser salvos pelas nossas próprias obras de obediência. Isso é legalismo, acreditar que tenho méritos pelo que faço.

3. Quando entendemos que a obediência é um dom:
a) Primeiro, acreditaremos na importância de obedecer.
b) Segundo, nossa obediência não será meritória.

Somos tão dependentes de Cristo para obedecer à lei e ser santificados, assim como somos para ser justificados e perdoados diante de Deus.

Conclusão

a. O homem pecou. O salário do pecado é a morte e a lei requer justiça – vida justa, caráter perfeito; e isso o homem não tem para dar. Não pode satisfazer as reivindicações da santa lei divina.

b. Depois da queda o homem tornou-se corrupto e sua justiça se assemelha a trapos de imundícia.

c. A boa notícia é que Cristo veio a terra como homem, viveu vida santa e desenvolveu caráter perfeito. Isso Ele oferece como dom gratuito a todos quantos o queiram receber, então, a remissão de pecados passados é garantida, mediante a paciência de Deus.

d. Mais que isso, Cristo lhes comunica os atributos divinos. Forma o caráter humano segundo a semelhança do caráter de Deus. Deus pode ser “justo e o justificador daquele que tem fé em Jesus”.

Pr. Adilson Gonçalves
Departamental de Escola Sabatina da ACP

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

COMPARTILHE

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More