terça-feira, 8 de novembro de 2011

Mordomia no vestuário

“E ele, chamando-o, disse-lhe: Que é isto que ouço de ti? Dá contas da tua mordomia, porque já não poderás ser mais meu mordomo.” Lucas 16:2

Quando se fala em mordomia, algumas pessoas associam diretamente esta palavra a dinheiro, dízimos e ofertas. É certo que mordomia inclui a administração de bens financeiros, mas diz respeito a outros aspectos de nossa vida também.

Além da administração do tesouro que Deus nos confiou, ser mordomo implica em administrar o tempo, cuidar do templo e desenvolver os talentos para a obra de Deus. Será que temos sido mordomos fiéis em todos esses aspectos?

Alguns acham fácil ser fiéis a Deus no que diz respeito à devolução dos dízimos e em aplicar seus dons e talentos na obra do Senhor, mas sentem dificuldade quanto a controlar os gastos com roupas, administrar bem o tempo e cuidar do templo através de uma alimentação mais saudável possível. Outros já têm facilidade na questão da alimentação, mas não possuem muito controle financeiro.

É certo que cada um tem suas lutas pessoais no que diz respeito ao serviço de mordomo de Deus. Hoje, gostaria que nos concentrássemos em apenas 2 dos aspectos da mordomia cristã – o tesouro e o templo – a partir de apenas um ítem – o vestuário.

Quanto do tesouro confiado por Deus a você tem sido investido na aquisição de vestuário? Quanto desse vestuário (incluindo acessórios) são realmente importantes e necessários? E de que forma esse vestuário tem contribuído para a sua saúde? Para nós, mulheres, essas perguntas são muito importantes. Conversando com uma amiga, neste final de semana, ela dizia que ler os livros sobre saúde, de Ellen White, era algo fácil para ela, mas ler conselhos sobre mordomia e se deparar com questionamentos como esses sobre o vestuário não estava sendo tão fácil assim.

O fato é que muitas vezes encerramos a reforma de saúde na abstinência de carne, o que está COMPLETAMENTE ERRADO! E com isso, crescemos na Igreja sem perceber que a simples escolha de minha roupa tem a ver com saúde também, com o cuidado com o Templo. Encerramos a mordomia em devolução de dízimos. Novamente um GRANDE ERRO! E com isso, caminhamos em nossa vida cristã sem administrar o investimento em vestuário de acordo com a vontade de Deus.
Será que você deseja ouvir de Deus “…Dá contas da tua mordomia, porque já não poderás ser mais meu mordomo.” (Lucas 16:2)? Creio que não! Eu também não desejo ouvir isso! Então precisamos aprender a sermos mordomos melhores.

Leia com atenção as seguintes orientações:

“Mesmo entre os que professam ser filhos de Deus, há os que gastam mais do que é necessário com o vestuário. Devemos vestir-nos decentemente e com gosto, mas, minhas irmãs, quando estais comprando ou fazendo a vossa própria roupa ou a de vossos filhos, pensai no trabalho da vinha do Senhor que ainda está esperando para ser feito. É correto comprar bom material e confeccionar o vestuário com cuidado. Isso é economia. Mas não há necessidade de ricos enfeites, e nisso condescender é gastar para a satisfação própria o dinheiro que devia ser colocado na causa de Deus. Não é a vossa roupa que vos torna valiosos aos olhos do Senhor. É o adorno interior, são as graças do espírito, a palavra bondosa, a atenciosa consideração para com os outros, que Deus aprecia. Passai sem os enfeites que não forem necessários, e ponde de lado, para o avanço da causa de Deus, os meios assim economizados. Aprendei a lição da abnegação, e ensinai-a a vossos filhos. Tudo o que puder ser economizado pela abnegação é necessário, agora, na obra a ser realizada. O sofredor deve ser aliviado; o nu, vestido; o faminto, alimentado; deve a verdade para este tempo ser contada aos que não a conhecem. Privando-nos do que não é necessário, podemos ter uma parte na grande obra de Deus.” Conselhos Sobre Mordomia, p. 301 e 302 .

“Devemos considerar as palavras do apóstolo Paulo, nas quais apela ele a seus irmãos, pela compaixão de Deus, para que apresentem seus corpos “em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus”. … A santificação não é apenas uma teoria, uma emoção ou uma forma de palavras, mas um princípio vivo e ativo, que faz parte da vida diária. Demanda que nossos hábitos no comer, beber e vestir sejam de molde a assegurar a preservação da saúde física, mental e moral, para que possamos apresentar ao Senhor os nossos corpos – não uma oferta corrompida por hábitos maus – mas um “sacrifício vivo, santo e agradável a Deus”. Rom. 12:1.” Conselhos Sobre Saúde, p. 67.

Visualizar a relação entre vestuários e finanças talvez seja mais fácil que compreender a relação que existe entre vestuário e saúde. O fato é que, como no texto citado acima, nosso vestuário afeta tanto a nossa saúde física (e existem roupas e sapatos que prejudicam a circulação sanguínea, colaboram para o desenvolvimento de doenças, etc.) como nossa saúde mental e moral, e portanto esse assunto merece atenção! Que tipo de desafio isso representa para você? Lembre-se que esse é um assunto importante dentro de nossa atuação como mordomos de Deus! Sejamos mordomos fiéis! Deus nos abençoe! (Portal do Advento)

Nota: Concordo com este artigo e quero ampliar o conceito de Mordomia Cristã. Segundo o dicionário, entre outras coisas a palavra mordomia pode significar: "Cargo ou ofício de mordomo, administrador dos bens de uma casa, de uma irmandade, de uma confraria". Mas mordomia bíblica é mais do que isto. É o estilo de vida da pessoa que aceita o senhorio de Cristo, andando em parceria com Deus e atuando como Seu agente para administrar Seus negócios na terra. É tudo de mim em resposta ao tudo de Deus. Quando passamos tempo na presença de Deus na primeira hora do dia, Ele vai moldando nosso caráter, transformando nossos gostos e dando-nos sabedoria para tomar as decisões certas para, entre outras coisas, comprar nossa roupa. Experimente!

Pr. Evandro Fávero

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

COMPARTILHE

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More