quarta-feira, 23 de novembro de 2011

O olhar da fé

“E do modo por que Moisés levantou a serpente no deserto, assim importa que o Filho do Homem seja levantado, para que todo o que nele crê tenha a vida eterna.” João 3:14, 15

Trabalhamos no distrito missionário de Merced, um lugar tropical na selva peruana do departamento Junín, no centro do país. Com minha esposa estávamos visitando uma comunidade chamada Río Seco e no caminho topamos com uma cobra chamada “gergona”, que dizem ser uma serpente muito venenosa. Nossa reação foi nos abraçarmos e gritarmos como nunca! Os moradores do local correram em nosso auxílio e espantaram o animal. Recobrados do susto, veio-me à mente a experiência do povo de Israel, quando as serpentes venenosas do deserto começaram a atacar e a picar muitas pessoas.

Israel havia chegado na fronteira com a terra prometida, mas para entrar na terra de Canaã tinham de atravessar o território de Edom. Essa travessia lhes custaria quinze dias. Porém, como os edomitas não permitiram, os israelitas tiveram de rodear essa cidade, agora exigindo uma caminhada de três meses. O povo não mais queria seguir caminhando pelo deserto e assim desanimou. Sentiam-se perdidos, aniquilados e estavam morrendo de sede e fome. A Bíblia diz que a reação deles foi: “E o povo falou contra Deus e contra Moisés: Por que nos fizestes subir do Egito, para que morramos neste deserto, onde não há pão nem água? E a nossa alma tem fastio deste pão vil” (Nm 21:5). Esqueceram que somente pelo poder de Deus tiveram a vida conservada naquele “grande e terrível deserto de serpentes abrasadoras, de escorpiões e de secura, em que não havia água” (Dt 8:15). Os israelitas deixaram de reconhecer a proteção de Deus. Então, o Senhor lhes tirou essa proteção para que pudessem apreciar Seu misericordioso cuidado e se voltassem para Ele, arrependidos e humilhados.

Em sua ingratidão e incredulidade, haviam declarado que preferiam a morte e recusavam a vida que vinha do Céu. Agora o Senhor lhes estava concedendo sua petição, permitindo que a morte lhes sobreviesse. Quando a mão protetora de Deus se afastou de Israel, muitíssimas pessoas foram atacadas pelas serpentes venenosas.

Houve então terror e confusão em todo o acampamento. Em quase todas as tendas havia mortos e moribundos.

O povo se humilhou diante de Deus. Muitos se aproximaram de Moisés para lhe fazer confissões e súplicas. Disseram: “Havemos pecado, porque temos falado contra o SENHOR e contra ti; ora ao SENHOR que tire de nós as serpentes” (Nm 21:7). Deus ordenou a Moisés que fizesse uma serpente de bronze, semelhante às que atacaram o acampamento, e que a levantasse diante do povo. Todos os que tivessem sido picados deveriam olhar para a serpente de bronze e encontrar a salvação.

Muitos já haviam morrido, mas quando Moisés a levantou, somente os que haviam sido picados e creram e aceitaram olhar para a serpente foram curados. Os demais pereceram na incredulidade. Não obstante, muitos tiveram fé na provisão de Deus para sua salvação.

A serpente de bronze tinha por objetivo ensinar uma lição importante para os israelitas. Não poderiam se salvar do efeito fatal do veneno que havia em suas feridas. Somente Deus podia curá-los. Porém, tinham de demonstrar fé na provisão de Deus. Deviam olhar e viver. A salvação não é como queremos ou pensamos, ela é o que Deus quer. Se você aceitar Deus, terá salvação e vida eterna.

Queridos companheiros no ministério, mantendo os olhos fixos em Jesus viveremos. Ele empenhou Sua palavra de nos salvar. Nosso dever primordial é olhar; o olhar da fé nos dará a vida eterna.

Pr. Walter Querevalú Mere
Missão Sul Oriental do Peru – UPS

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

COMPARTILHE

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More