quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Resumo da lição número 4 da Escola Sabatina

CLIQUE NA IMAGEM ACIMA PARA BAIXAR O POWER POINT

Título: O Deus da Graça e do Juízo


Texto-chave

“Pois Deus trará a julgamento tudo o que foi feito, inclusive tudo o que está escondido, seja bom, seja mau”. Ec 12:14, NVI.

Objetivos

1. Saber que o mesmo Deus que julga é o Deus que oferece Graça e Salvação, estando disposto, antes, a oferecer esta última!

2. Sentir que em Adão estamos todos condenados, porém no segundo Adão, Jesus Cristo todos temos acesso a Graça e Salvação. Esta promessa está disponível mesmo antes de Cristo morrer, ou seja, desde que existiu pecado.

3. Fazer um propósito de, pela graça, sermos mais submissos e obedientes a Deus para não temermos o dia do juízo!

Verdade Central

A nossa salvação vem unicamente pela fé na graça de Deus em Cristo Jesus. Não seremos condenados por nossos pecados no dia do juízo a menos que, em tempo oportuno, não os confessemos e não apelemos à graça divina!

Domingo: O dia do juízo

A justiça e a graça (juízo e salvação) de Deus são complementares e perfeitamente equilibradas como a dureza do aço e a maciez do veludo.
As doutrinas do juízo e da salvação são incompatíveis?

 Não: pois o assunto do juízo aparece mais frequentemente no NT do que no AT evidenciando desta forma que o conceito do juízo não é contrário à nova aliança da graça de Deus por meio de Cristo!

 Não: pois colocar uma contra a outra equivale a não entender ou aceitar os ensinos dos evangelhos.

 Na prática, os atributos de justiça e graça divina é que vão culminar na condenação dos ímpios e absolvição dos justos.

Segunda-feira: Juízo e graça no Éden

No Éden não havia pecado, portanto, não necessitava dos elementos da graça ou juízo.
A partir de quando e, em que contexto surgiu a graça e o juízo, respectivamente? Que importância ou impacto isso tem em sua vida?
 Quando surgiu o pecado, imediatamente surgiu a graça! As primeiras palavras de Deus, depois da queda, foram “onde estás?”. Estas palavras foram um convite do Criador para que nossos primeiros pais fossem até Ele, onde havia solução (graça).

 Em Gênesis 3:15 temos o evangelho em miniatura. Ali o Senhor pronuncia: 1) Seu juízo contra a serpente; 2) Sua graça e salvação ao casal (raça humana); 3) Finalmente, pronuncia seus juízos ao casal (humanidade). Aqui se percebe o juízo sendo aplicado sobre a base da graça!

 Lembremo-nos que “onde abundou o pecado, superabundou a graça de Deus” (Romanos 5:20).

Terça-feira: O Dilúvio

Quantas oportunidades de graça e salvação Deus tem oferecido a você a cada dia.
Em que momento na história do dilúvio podemos perceber o juízo e a graça divina em ação?
 O anúncio do juízo divino descrito em Gênesis 6:5-7. Não por iniciativa de Deus, mas como uma resposta à “maldade do homem”.

 Logo no verso 8 é apresentada a graça de Deus a Noé, sua família e a todos os que a aceitassem!

 Os 120 anos dispensados em construir a arca, foram anos de oportunidade de graça e salvação oferecidos àquela geração.

Quarta-feira: Condenação e graça

Embora em João 3:16 encontremos uma mensagem de graça, é preciso compreender, pelo contexto imediato que não se trata de “graça barata”. Se não crermos e obedecermos no salvador, a condenação jaz às portas!
No capítulo 3 de João, como graça e juízo para condenação estão ligados?
 Em João 3:16 e 17 lemos uma mensagem de graça à toda a humanidade, aos que aceitarem a Cristo!

 Na sequência, verso 18, percebemos um esclarecimento com ampliação do exposto nos versos anteriores. Juízo para os que não crêem nEle e absolvição aos que nEle crerem!

 Primeiro, todos estão condenados (ver também, Romanos 3:23); depois, todos estão justificados (Romanos 3:24). Com isso, mais uma vez nesta semana se comprova que juízo e graça estão interligados. Se não houvesse a possibilidade do juízo (condenação), não haveria a necessidade de graça.

Quinta-feira: A hora do Seu juízo

Em Mateus 10:26 nos é dito que para Deus “Não há nada escondido que não venha a ser revelado”. Esta afirmação te deixa tranquilo ou preocupado?

 Se Deus olhasse somente para as nossas falhas, defeitos e pecados, todos estaríamos perdidos!

 Assim como em Gênesis 3, que vimos nesta semana, também em Apocalipse 14:6 e 7, a Palavra de Deus começa proclamando o evangelho da salvação para depois falar de juízo e condenação.

 Felizmente para nós nossa mensagem tem o “evangelho eterno como fundamento”! Desta forma podemos ficar tranquilos, confiados na graça e misericórdia de Deus (veja Romanos 8:1).

Conclusão

1. Desde o Éden, onde surgiu o pecado, a graça e misericórdias do Senhor passaram a ser franqueadas a todos os pecadores que queiram. Note a relação entre esta mensagem e a do último capítulo da Bíblia, Apocalipse 22:17.

2. Embora tenhamos visto nesta semana “o Deus da graça e do juízo”, Ele está muito mais interessado em nos dar sua graça e salvação do que juízo e condenação! (veja I Pedro 3:9).

3. “Jesus não lhes justifica os pecados, mas apresenta seu arrependimento e fé, e, reclamando o perdão para eles, ergue as mãos feridas perante o Pai e os santos anjos, dizendo: ‘Conheço-os pelo nome. Gravei-os na palma de Minhas mãos’" (Ellen G. White, O Grande Conflito, p. 484).


Pr. Dinei Moreira Carriel
Pastor em Guarapuava Norte (ACP)

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

COMPARTILHE

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More