domingo, 4 de março de 2012

Meu Senhor tarda em vir

“Bem-aventurados aqueles servos, os quais, quando o Senhor vier, achar vigiando! Em verdade vos digo que se cingirá, e os fará assentar à mesa e, chegando-se, os servirá.” Lucas 12:37

O meu senhor tarda em vir”: Esta declaração que foi dita pelo servo negligente, faz parte de uma parábola na qual Jesus enaltece a virtude da vigilância. Três vezes Jesus pronuncia uma bem-aventurança sobre os servos que forem encontrados vigilantes: “Bem-aventurados aqueles servo, os quais, quando o Senhor vier, achar vigiando!” (Lc 12:37, 38, 43).

Jesus usa o plural tanto no verso 36, como no 37, porque louvado seja Deus, sempre houve e sempre haverá servos vigilantes que “esperam pelo seu Senhor”. Não são como aquelas dez virgens que adormeceram enquanto aguardavam o aparecimento do noivo. Os servos vigilantes estão no posto do dever dia e noite. Absolutamente não querem ser tomados de surpresa. Sabem que não basta vigiar uma hora ou duas. Precisam estar alerta, a noite toda, se preciso for.

O “bom servo”, sobre o qual uma bênção é pronunciada, é movido não só pelo sentimento do dever: “preciso estar vigiando quando voltar meu Senhor”; mas é movido pelo sentimento de amor: “eu quero estar pronto quando meu Senhor voltar”.

Eu O amo e de modo algum quero desapontá-Lo. Fosse apenas o sentimento do dever que o animasse, as horas de espera pareceriam longas e penosas. Mas porque ama a seu Senhor, nenhum sacrifício lhe parece demasiado grande.

Como outrora para Jacó, os anos de espera por Raquel “lhe pareceram poucos dias, pelo muito que a amava” (Gn 29:20), assim para o servo que ama seu Senhor, as horas lhe passam rapidamente. Está de tal modo ocupado com os preparativos, que não percebe as horas escoar. É o servo ocioso que conta as horas e para quem a espera parece interminável.

O fato de o senhor encontrar os servos vigiando, apesar do adiantado da hora, é considerado tão extraordinário que o Senhor, em vez de assentar-se à mesa para ser servido, cinge-Se, faz os servidores assentarem-se à mesa e os serve. Os servos são tratados como senhores, pelo simples fato de serem vigilantes. Isso indica como a virtude da vigilância é de alto valor aos olhos do Mestre.

Em Lucas 12:40, Jesus relaciona a parábola com Sua segunda vinda: “Ficai também vós apercebidos, porque à hora que não cuidais, o Filho do homem virá”. Dos evangelistas, Lucas é o que mais se preocupa com o problema da demora da vinda do Senhor. Era um problema que começava afligir aqueles que, havia mais de trinta anos, aguardavam a vinda de Cristo em glória.

Foi antecipando este estado de coisas na igreja, quando a verdade da segunda vinda estava sendo posta em dúvida por muitos, por uns de modo tímido e velado e por outros de modo ostensivo e zombeteiro, que Jesus pronunciou esta e outras parábolas, enfatizando a necessidade de vigiar e orar.

Caro colega, você faz parte do grupo dos servos vigilantes?

Pr. Adilson Miranda
Secretário e Ministerial da MTO - UCOB

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

COMPARTILHE

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More