quarta-feira, 21 de março de 2012

Morte Precisosa

“Preciosa é aos olhos do SENHOR a morte dos seus santos.” Salmo 116:15

Com dois outros colegas, fomos ao hospital visitar um pastor jubilado que vivia seus últimos momentos de vida. Quando chegamos no local, ele já havia falecido. Ao entrarmos no quarto onde estava internado, deparei-me com a triste cena de seu corpo sem vida e coberto por um lençol. Pensei como aquele arauto da verdade, que dedicara toda a vida ao serviço do Grande Mestre, já não estava respirando. Seus lábios não mais se moviam para anunciar a bendita esperança que por tanto tempo abraçara. Poucos instantes depois a filha entrou no quarto, visivelmente abalada pela perda de seu querido pai. Depois o filho, também pastor, rompeu em lágrimas diante da separação de seu pai e pastor.

O pastor Daniel Díaz Araya foi um homem amante da leitura, de seu Salvador e uma inspiração para a família e para a Igreja. O pastor Daniel, por mais de 20 anos lutou contra problemas renais e um transplante. Na manhã de 18 de outubro de 2011, seus olhos se fecharam momentaneamente nesta terra.

Por que somos tão afetados pela morte? Por que nunca estamos preparados, especialmente, quando vem a um ente querido?

O salmista menciona: “Preciosa é aos olhos do SENHOR a morte dos seus santos.” Quem são esses santos? De acordo com a palavra hebraica kadosh, santo é alguém que foi separado e que se dispôs a consagrar sua vida ao serviço do Senhor. Não existe obra maior nesta terra do que ser um arauto do Salvador; não existe chamado mais enobrecedor que servir ao Rei dos reis e Senhor dos senhores. Não obstante, ser separado, ou kadosh, não nos isenta de lutas, vicissitudes e de problemas. Talvez, neste instante você esteja passando por um momento difícil em sua vida; problemas com a enfermidade de um filho, medo com respeito às expectativas dos outros sobre seu trabalho, preocupação porque seus filhos deixaram o Senhor; diante de todas essas situações, não se esqueça jamais de que aos olhos do Senhor você é especial, santo, consagrado a Ele. A despeito de suas deficiências, Ele o aceita e está disposto a transformá-lo para que seja uma bênção.

A morte parece muito dura, muito fria, mas não é o fim para os santos do Senhor. Podemos confiar absolutamente em nosso Deus pelo resto de nossa vida, vivendo cada instante confiantes de que se nossos olhos forem cerrados antes da vinda de Cristo, essa morte será preciosa, pois receberemos a vida imortal ao soar da última trombeta.

Pr Mitchel Urbano
Missão Chilena do Pacífico – UCh

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

COMPARTILHE

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More