quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Felicidade no casamento

“Disse mais o Senhor Deus: Não é bom que o homem esteja só; far-lhe-ei Uma auxiliadora que lhe seja idônea.” Gênesis 2:18

Deus analisou o que acabara de criar e viu algo que não gostou. Ele não aprovou o mundo sem a presença da mulher. Ele criou o homem, colocou-o para viver e desfrutar do jardim do Éden, mas havia alguma coisa faltando, todos dos animais tinham uma companheira ao seu lado, felizes, mas Adão estava sozinho.

O Senhor estava satisfeito com tudo que havia feito, menos pelo fato de o homem estar só. Ele precisava de uma companheira.

Deus fez o homem cair em profundo sono, e do seu lado tirou uma das suas costelas e fez Eva, a mais bela da criação. Adão ficou feliz com a companheira que Deus lhe havia dado, então disse Deus em Gn. 2:24 – “Por isso, deixa o homem pai e mãe e se une à sua mulher, tornando-se os dois uma só carne.”

Alguém declarou: "Amo-te não só pelo que tens feito de ti, mas pelo que estás fazendo de mim, amo-te porque escultando meu coração, passas por alto as fraquezas que não podes deixar de observar, e trazes a luz do dia, todas as belezas ali escondidas, que ninguém procurou ainda descobrir, amo-te por que me ajudas a construir da maneira adequada, que minha vida não é uma taberna, mas um templo."

Ellen White disse: “A religião introduzida no lar exerce uma influência que se não pode medir.” (Filhos e Filhas de Deus, 255)

Edward Gibbon, autor da obra – "A história do declínio e queda do império romano", disse que o cristianismo sobreviveu aos césares pela simplicidade, pureza e beleza da vida familiar cristã.

Felicidade conjugal não é questão de sorte, não vem por acaso e nem dispensa esforço constante. O lar é a antessala do cristianismo prático.

B.R. Bricher disse: “Ter sucesso no casamento não depende tanto de encontrar a pessoa certa, mas de ser a pessoa certa.”

O matrimônio foi construído por Deus desde o jardim do Éden, para ser uma bênção em que os cônjuges pudessem refletir um para com o outro, um pouco do amor de Deus e de honra, e que o marido e a mulher honrassem um ao outro através do amor. Por isso Hebreus 13:4 assegura: “Digno de honra entre todos seja o matrimônio bem como o leito sem mácula...”

“Aquele que deu Eva a Adão por companheira operou seu primeiro milagre numa festa de casamento. Na sala festiva em que amigos e parentes se alegravam, Cristo começou seu ministério público. Sancionou assim o matrimônio, reconhecendo-o como instituição por Ele mesmo estabelecida, ordenou que homens e mulheres se unissem em santo matrimônio, para construir famílias cujos membros coroados de honra fossem reconhecidos como membros da família celestial.” (Idem, Lar Adventista, p. 99)

“A graça de Cristo, e somente ela, pode tornar esta instituição o que Deus deseja que fosse; um instrumento de bênção e elevação da humanidade, e assim, as famílias da terra em sua união, paz e amor possam representar a família do céu.” (Ibid, p. 100)

Que esta meditação, querido leitor, o ajude a fazer do seu lar um pedacinho do céu. Ponha Deus como centro, o primeiro e o último, e você alcançará a felicidade conjugal.

Pr Ronaldo Virgínio da Silva
Associação Central Amazonas – UnoB

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

COMPARTILHE

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More