domingo, 9 de dezembro de 2012

Resumo da lição número 11 da Escola Sabatina

 
CLIQUE NA IMAGEM ACIMA PARA BAIXAR O POWER POINT E O RESUMO EM WORD

Título: “A vida cristã” 

Texto-chave

“Nisto conhecemos o amor: que Cristo deu a Sua vida por nós; e devemos dar a nossa vida pelos irmãos” (1Jo 3:16).

Objetivos 

1. Compreender que o Cristianismo possui um estilo de vida definido pelo próprio Cristo.

2. Aceitar que este estilo de vida cristão deve afetar todas as áreas da minha vida equilibradamente.

3. Compreendendo e aceitando o estilo de vida cristã meu relacionamento com Deus e com o próximo serão tesouros do céu que gastarei na terra.

Verdade Central 

Viver o cristianismo não significa fazer da minha vida o que bem entender. Viver o cristianismo é pensar e agir lembrando o que Cristo fez por mim.

 Domingo: Mordomia 

Tendo em mente a definição correta de mordomia (tudo de mim em resposta ao tudo de Deus) é possível conciliar a vida cristã com o sucesso pessoal usando os talentos que Deus nos deu?

- Como cristão tenho o dever de ser o meu melhor onde estiver (Eclesiastes 9:10). Isso significa que Cristo fará parte de todos os meus sucessos.

- A mordomia é minha resposta diária a Deus pelo que Ele já fez por mim.

- A mordomia é o assunto bíblico mais próximo da volta de Jesus.

Segunda-feira: Dízimo: uma pequena parte 

Não importando a quantia, seu dízimo sempre será pequeno comparado com a oferta de Jesus na cruz, a própria vida. O que mais além de fidelidade está envolvido na devolução dos dízimos e ofertas?

O dízimo é um roubo que prejudica mais o ladrão do que a vítima.

- Depois de devolver meu dízimo ainda preciso prestar contas a Deus do que faço com os outros 90%. Afinal, Ele pede 10% mas tudo é dEle.

- O dízimo está muito mais próximo do coração do que do bolso ou carteira.

Terça-feira: A responsabilidade para consigo mesmo 

Quais os riscos de amar aos outros sem ter reconhecimento do amor de Deus por mim? É possível amar os outros como Deus espera sem amar a mim mesmo? O que é amor próprio?

- Se Deus me ama a ponto de dar a vida de Seu único filho em meu favor, eu não tenho o direito de não me amar.

- Deus me ama e por isso me perdoa. O perdão de Deus é tão magnífico que eu deveria ter a mesma facilidade em me perdoar.

- É impossível ser amado e perdoado por Deus sem transmitir ao meu próximo os mesmos sentimentos e ações. Estas são provas do “amarás ao próximo como a ti mesmo”.

Quarta-feira: O casamento cristão 

Como sabemos o casamento não é uma tradição humana, mas, uma instituição divina. Sendo assim de onde devem ser tirados os princípios para se realizar um casamento? Você consegue enxergar algum princípio divino para o término de um casamento?

Se o amor é o sentimento em questão eu devo me casar para fazer alguém feliz e não para ser feliz.

- Com a justificativa de que Deus é amor muitas pessoas querem ultrapassar ou até mesmo anular os princípios do casamento que Deus estabeleceu também por amor. O fato de Deus nos amar não O obriga aceitar tudo o que queremos ou fazemos.

- Com o divórcio em moda fora e dentro da igreja, a maior causa do divórcio é ainda é a “dureza de vossos corações” (Mt. 19:8). Sendo assim, ninguém pode querer um divórcio e pensar estar se relacionando bem com Deus.

Quinta-feira: Conduta cristã

Não existe situação na vida e nos relacionamentos para o qual a Bíblia não tenha um princípio. Como saber aplicar os princípios bíblicos nas situações cotidianas como trabalhador e cidadão? Isso é verdadeiramente possível?

- Quando José foi tentado pela esposa do seu senhor sua resposta foi: “como pois eu faria tamanha maldade, e pecaria contra Deus?” Embora o empregador de José fosse um ser humano, seu principal compromisso sempre foi com Deus.

- É dever de todo cristão ser um exemplo como cidadão. Mesmo que o governo de sua cidade, estado ou país não o estejam observando, Deus espera isso de seus filhos.

- O cristão pode se envolver na busca dos direitos e bens comuns para ele e a sociedade somente quando for possível que seu compromisso com Deus seja sempre honrado.

Conclusão

1. A vida cristã não pode ser definida pelos meus pensamentos e gostos e sim, por quem foi Jesus Cristo.

2. Jesus não me permite usar seu nome “cristão” como uma capa de chuva e vestir quando eu bem quiser. Ou sou cristão em todo o tempo ou não sou em tempo nenhum.

3. Os lugares e pessoas não podem definir que tipo de atitudes eu terei. Jesus amava ao mesmo tempo em que apanhava e era pregado na cruz.

4. Viver como Jesus viveu pode ser um alvo inalcançável para este mundo. Mas ainda será o caminho para alcançar o mundo vindouro.

Pr. Rodrigo Machado da Silva 
Pastor do distrito de Bagé, pertencente à Associação Sul-rio-grandense/ASR

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

COMPARTILHE

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More