sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

Igreja Missionária ou Missional?

“Eu desci do céu, não para fazer a minha vontade, mas a vontade daquele que me enviou.” (Jo 6:38-39)

Todos sabemos que as igrejas são consideradas como missionárias. Com isso queremos dizer que elas investem na missão e que regularmente enviam missionários além mar.

Agora no Brasil estamos começando a ouvir um termo denominado "igreja missional." O que significa isso?


Será que isto é apenas uma outra maneira extravagante de mudar um substantivo em adjetivo para torná-lo soar como algo novo e diferente? Qual é a diferença entre uma "Igreja missionária" e uma "igreja missional?"

História

Primeiro de tudo, 50 anos atrás, quando alguém que falava sobre "missão" geralmente assumiria que estava falando sobre o envio de missionários para o exterior, para uma terra pagã. Igrejas que apoiaram esses esforços tinha um espirito de missão. Sabemos há muito tempo que a missão não é simplesmente algo feito além mar. Anos atrás a Igreja Cristã de certa forma se reunia para promover as grandes missões. Havia grandes investimentos para envio de missionários para lugares remotos do planeta.

O missionário britânico Lesslie Newbigin (HUNSBERGER, 1998) foi enviado para a Índia em 1936. Ele trabalhou naquele pais em um momento em que os cristãos indianos foram ganhando a independência missionária dos Europeus e Americanos. Muitos missionários ocidentais estavam trabalhando por centena de anos naquele país.

Quando estas igrejas mais jovens da Índia foram chegando à maturidade, eles perceberam que todas denominações cristãs que estavam enviando missionários como Lesslie Newbigin tinham diferenças denominacionais, por inúmeras razões que poderiam fazer sentido no Ocidente, mas eram irrelevantes na Índia. Por que um cristão indiano deveria ser um Presbiteriano, em vez de um Metodista? Assim, os cristãos indianos (com o apoio do missionário) decidiram formar uma "igreja unida." Em 1947, a Igreja do Sul da Índia foi formada e Newbigin foi feito um bispo na igreja.

Tudo isso para dizer que Lesslie Newbigin passou uma parte significativa de sua vida como um evangelista missionário, pastor, professor e bispo na Índia. Quando ele se aposentou e voltou para a Inglaterra em 1974, ele continuou seu ministério, até sua morte em 1998. Foi neste período de sua vida que teve o maior impacto com a respeito à Igreja na Inglaterra e na América. Apesar de Newbigin nunca perdera o contato com a igreja ocidental, ele ainda estava chocado com o declínio da mesma.

Newbigin escreveu um livro intitulado The other side of 1984, em que ele fez a pergunta profunda: "Será que o Ocidente pode ser convertido?” Ele concluiu que a Europa e a América do Norte são hoje os mais difíceis e intransigentes campos missionários por causa do secularismo que consome cada um deles. Não era mais possível pensar em missão como algo a ser feito em um país estrangeiro, este trabalho tinha que ser feito aqui também. Crenças pagãs estão controlando a forma como nós, no Ocidente estamos vivendo.

Os escritos e a fala de Newbigin resultou no início do Gospel and Our Culture (Evangelho e a nossa Cultura). Aqueles que participam neste projeto têm tentado promover um "Encontro missionário" do Evangelho com a cultura. Eles foram questionados: “O que é necessário fazer para que a igreja se aproxime da cultura?” Uma igreja preocupada com este assunto pode ser chamado de uma "igreja missional". (Continue lendo)

1 comentários:

Muito bom o artigo. O autor tem algum livro?

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

COMPARTILHE

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More