domingo, 31 de março de 2013

A Esperança dos Discípulos de Emaús

Lucas 24:13-35


OBJETIVO DO SERMÃO: Mostrar que a ressurreição de Jesus Cristo é a esperança de vida eterna.

INTRODUÇÃO: O texto para hoje começa assim: “Naquele mesmo dia...”. Que dia? O evangelho de Lucas deixa claro que esse era o dia da ressurreição de Jesus.

Dois discípulos “estavam de caminho para uma aldeia chamada Emaús”. Ellen White afirma que Emaús era uma “pequena aldeia a cerca de doze quilômetros de Jerusalém” (O Desejado de Todas as Nações, 1990, p. 795).

O comentarista Russel Norman Champlin afirma que “eles iam conversando sobre as cenas da crucificação que ainda estavam bem nítidas em sua memória, e a passagem do tempo, da sexta-feira para o domingo, de forma alguma desfizera as tremendas lembranças dos horrendos acontecimentos daqueles dias recentes” (O Novo Testamento Interpretado, Versículo por Versículo, 1987, v. 2, p. 238).

Champlin ainda comenta: “... podemos entender como os seus corações estavam tristonhos e perplexos, posto que estavam acostumados a um contato íntimo com o Senhor Jesus. A perda de Jesus, por conseguinte, deve ter sido sentida mais agudamente por eles do que por muitos outros discípulos” (Idem).

Algumas tradições cristãs de tempos posteriores sugerem que esses dois discípulos eram membros do grupo especial dos setenta. (Eusébio, História Eclesiástica, v. 3, p. 11).

O versículo 18, identifica de forma patente que um dos discípulos se chamava Cléopas, e tradições cristãs posteriores, registradas por Eusébio, afirmam que o outro discípulo atendia pelo nome de Simão, e era filho de Cléopas (Idem).

Quais são as grandes lições que podemos tirar da vida desses dois discípulos a caminho de Emaús?

I – A PRIMEIRA GRANDE LIÇÃO

Os versos 15 e 16 dizem assim: “Enquanto conversavam e discutiam, o próprio Jesus chegou perto e começou a caminhar com eles, mas alguma coisa não deixou que eles O reconhecessem.” Conversavam e discutiam sobre um morto que havia ressuscitado e sobre uma sepultura que estava vazia. Por que eles não viam? Cada um de nós pode levantar algumas hipóteses.

O texto bíblico diz que eles estavam entristecidos, e o verso 21 sugere que também estavam decepcionados. Decepcionados por quê? Eles acreditavam que o reino do Messias seria político. Esperavam a restauração do trono de Davi. Pensavam que Jesus usaria Seus poderes sobrenaturais para destronar o Império Romano. Suas esperanças se espatifaram contra as paredes de uma sepultura. Eles não conseguiam enxergar o desígnio divino para a morte de Jesus. Tristeza e decepção foram os dois primeiros fatores que fizeram esses dois discípulos perderem a consciência da presença de Jesus.

O que mais pode levar os homens a perderem a consciência da presença de Jesus? O verso 19 nos ajuda a encontrar essa resposta.

II – A SEGUNDA GRANDE LIÇÃO

Esses versos refletem a compreensão desses dois discípulos quanto à missão de Jesus. “Jesus, o Nazareno, que era varão profeta, poderoso em obras e palavras, diante de Deus e de todo o povo...”. Para eles, Jesus era um profeta extraordinário e um mensageiro de Deus, como ainda não havia aparecido em Israel durante diversos séculos. Na verdade, estiveram por três anos com Jesus e continuavam crendo nEle apenas como um profeta.

Podemos dizer que o sofrimento e a tristeza provinham da ignorância deles com relação à pessoa de Cristo. Ainda hoje é assim. Milhares de pessoas vivem sofrendo por causa da ignorância que têm acerca da pessoa de Deus.

Estou falando, com base em um comentário que encontrei num site adventista:

O que é salvação? Não podemos responder a essa pergunta sem desconstruir a visão que a maioria das pessoas tem de Deus, uma visão de que Ele é um Deus severo. A Bíblia não apresenta Deus assim. Apresenta-O como sendo um Deus de amor. (1 João 4:8).

No processo da salvação, a maior dificuldade das pessoas chama-se consciência de culpa. As pessoas têm uma intuição natural de que estão em dívida com um ser superior. Essa atitude se manifesta em todas as camadas sociais, em todas as culturas e civilizações. Sempre vamos ver o homem tentando quitar a sua dívida para com Deus. Isso é errado? – Sim. Quando nós pensamos em salvação, pensamos em ação e reação. Numa conclusão errada, o ser humano quer ser a ação para que Deus seja a reação. Então ele age para que Deus reaja.

Vou dar alguns exemplos: Vamos procurar ser bonzinhos para Deus nos abençoar; vamos fazer penitências e sacrifícios para Deus nos ouvir; ou vamos pagar promessas para Deus acabar nos aceitando. Isso não é bíblico. Isso é a base do paganismo e a base de toda religião falsa. Biblicamente falando, numa teologia correta, devemos compreender que a ação é de Deus e a reação é do homem.

Deixe-me dar um exemplo a partir de um verso bíblico bastante conhecido (João 3:16). “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o Seu Filho unigênito, para que todo o que nEle crê não pereça, mas tenha a vida eterna.” Qual é a ação de Deus? Ele amou e deu – o Seu Filho unigênito. Qual é a reação do homem? É crer e ter – a vida eterna. Uma coisa todo ser humano precisa entender para se livrar da consciência de culpa:

Jesus já quitou a nossa dívida. Todo ser humano precisa aceitar isso pela fé.

Muitas pessoas falam sobre fé, mas não sabem o que é fé. Fé é reação do homem à ação de Deus. O Senhor Deus nos aceitou na pessoa de Seu Filho. Fé é aceitar que você foi aceito. Assim, fé é aceitar a aceitação. Muitas pessoas pensam assim: “Será que Deus vai me aceitar?” – quando essa pergunta quem nos faz é Deus: “Aceitarás Minha aceitação de ti?” O cristão é um ser humano que compreendeu a ação de Deus. Em outras palavras, o cristão é um ser humano que confessa: “Eu aceito que Tu me aceitaste.”

Ninguém precisa conquistar a Deus porque Ele nos conquistou. Ninguém precisa agradar a Deus porque Ele se tornou agradável a nós. Ninguém precisa fazer sacrifício porque Ele ofereceu sacrifício por nós.

Toda base do paganismo é o homem oferecendo sacrifício para agradar aos seus deuses. No cristianismo puro é diferente: Deus ofereceu o sacrifício para nos agradar e nos convencer do Seu amor. Nosso primeiro passo para a salvação é aceitar o sacrifício de Deus.(www.pazemjesus.com.br – Benedito Muniz)

Será que isso já está claro na mente de todos nós hoje? Na mente dos dois discípulos de Emaús ainda não estava claro quem era Jesus. Na mente dos líderes judeus, do povo em geral e dos líderes romanos também não estava claro quem era Jesus. Alguns pensavam que Jesus era um grande guerreiro. Ao invés de guerreiro, Jesus assumiu a figura do pastor de ovelhas para com o povo. Ele Se importava com os pobres, amava sem julgar, e para os desesperançados dava sempre uma nova chance. Seus seguidores eram pessoas simples, e mesmo sabendo os pecados deles Jesus os amava.

Os guerreiros matavam para ganhar as guerras, Jesus entregou a Sua própria vida para nos dar a vitória. Os romanos ganhavam guerras e se mantinham no poder pela violência, Jesus ganhava vidas e conquistava corações.

Os discípulos acusaram os sacerdotes e as autoridades romanas pela morte de Cristo (verso 20). Assim declarando, admitiram que a morte de Cristo fora por razões totalmente religiosas ou políticas. Ignoraram as palavras que Jesus havia dito: “Tal como o Filho do Homem, que não veio para ser servido, mas para servir e dar a Sua vida em resgate por muitos” (Mateus 20:28).

O verso 27 mostra o que Jesus fez para reverter esse quadro: “E, começando por Moisés, discorrendo por todos os profetas, expunha- -lhes o que a Seu respeito constava em todas as Escrituras.” Jesus utilizou toda a Bíblia para revelar o plano da salvação.

Alguns hoje querem revelar o plano da salvação utilizando a Bíblia parcialmente. Outros querem revelar o plano da salvação sem utilizar a Bíblia. Jesus nos deu o exemplo que devemos imitar. Ele começou com Moisés, ou seja, começou com o Pentateuco, com Gênesis, provavelmente com Gênesis 3:15.

No verso 32, vemos o que acontece quando toda a Bíblia é utilizada para revelar o plano da salvação. “Porventura, não nos ardia o coração, quando Ele, pelo caminho, nos falava, quando expunha as Escrituras?” Quando a Bíblia fala, os corações são aquecidos.

III – A TERCEIRA GRANDE LIÇÃO

Os versos 22-24 indicam certa insensibilidade nesses dois discípulos quanto a ouvir testemunhos. Várias pessoas falaram sobre a ressurreição, mas eles não acreditaram. O próprio Jesus muitas vezes falou sobre Sua morte e ressurreição.

“Jesus lhes respondeu: Destruí este santuário e em três dias o reconstruirei” (João 2:19-22).

“Porque assim como esteve Jonas três dias e três noites no ventre do grande peixe, assim o Filho do Homem estará três dias e três noites no coração da Terra” (Mateus 12:40). “E O entregarão aos gentios para ser escarnecido, açoitado e crucificado; mas, ao terceiro dia, ressurgirá” (Mateus 20:17-19).

Os olhos desses dois discípulos não enxergavam porque estavam fitos na prisão, no julgamento e na crucificação de Jesus, e não na Sua ressurreição.

Procuravam Jesus entre os mortos, e Ele estava vivo! A tristeza e desesperança não os deixavam vê-Lo ao seu lado. Quando o Estranho perguntou sobre as últimas notícias, os dois discípulos falaram sobre a morte de um profeta. A última notícia não era a morte de um profeta, mas a ressurreição do Filho de Deus! A esperança desses dois discípulos dependia dessa certeza. A nossa também.

CONCLUSÃO

Há alguma atitude que precisamos tomar para gerar uma mudança em nossa vida? Os dois discípulos de Emaús constrangeram Jesus a ficar com eles (versos 28 e 29). A palavra constranger tem o sentido de insistência, mostrar que é muito importante a presença de alguém. A presença de Jesus é muito importante para você?

Quando Jesus orou pelos alimentos, os olhos deles se abriram. Ao fecharem os olhos para orar, os olhos do entendimento se abriram. Naquele momento, Jesus desapareceu da presença deles. (verso 31).

Jesus havia dado o estudo bíblico, havia feito o apelo, portanto, já podia deixá-los. O apelo foi atendido “na mesma hora” (verso 33). Então eles voltaram imediatamente para Jerusalém, a fim de testemunhar sobre a ressurreição do Senhor. As MARCAS DE ESPERANÇA da ressurreição estavam visíveis na vida desses dois discípulos. Iniciaram a viagem sem nenhuma esperança, mas, após essa revelação, o coração deles parecia não conter tanta esperança. Eles queriam dizer a todos: Jesus está vivo!

Às vezes, nós nos apegamos a tantas coisas nesse mundo que nos esquecemos de uma linda promessa que Jesus nos fez: “Estarei convosco todos os dias até a consumação dos séculos” (Mateus 28: 20). Só um Deus vivo poderia fazer essa promessa. A ressurreição de Jesus Cristo é a esperança da vida eterna.

APELO:

Será que temos demonstrado que Jesus está vivo para nós? Será que estamos conscientes de Seu papel como nosso Sumo Sacerdote, que está ministrando por nós agora lá no santuário celestial?

Durante esta semana, você estudou sobre vidas marcadas com a esperança por terem, de alguma maneira, encontrado o Salvador. A grande notícia, porém, é que Ele está vivo e continua marcando vidas com a mesma esperança. Ele continua colocando MARCAS DE ESPERANÇA em nossa vida, as marcas do perdão, de salvação e da vida eterna, com a certeza do Seu breve retorno!

Por que você não aproveita este momento e deixa o seu coração arder de esperança, entregando-se a Cristo AGORA?

Bibliografia:

• Champlin, Russell Norman, O Novo Testamento Interpretado, Comentário Versículo por Versículo, 2 volumes (São Paulo: Editora Candeia, s.d.), p. 180.

• Comentario Bíblico, Adventista do Sétimo Dia, 5 volumes (Buenos Aires, Argentina: Asociación Casa Editora Sudamericana), p. 625-627.

• Bertolini, Lucila Benatte de Almeida, Relações Entre Condições Emocionais e Qualidade de Vida (São Paulo, SP: Editora Metodista).

• Almeida, de Ferreira João, A Bíblia Sagrada, (Barueri, SP: Sociedade Bíblica do Brasil) 2ª Edição, 1988.

• Wiersbe, Warren W, Comentário Bíblico Expositivo, NT. V. I. (Santo André, SP: Editora Geográfica) 2010.

• John D. Davis, Dicionário da Bíblia (Rio de Janeiro, RJ: Casa Publicadora Batista), 1978.

• Ellen G. White, O Desejado de Todas as Nações (Tatuí, SP: Casa Publicadora Brasileira), 1990.

1 comentários:

coerente com a palavra de Deus!!!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

COMPARTILHE

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More