domingo, 15 de setembro de 2013

Resumo da lição número 12 da Escola Sabatina


 
CLIQUE NA IMAGEM ACIMA PARA BAIXAR O POWER POINT E O RESUMO EM WORD

TÍTULO“Reforma: curando relacionamentos quebrados”

TEXTO-CHAVE


“Se nós, quando inimigos, fomos reconciliados com Deus mediante a morte do Seu Filho, muito mais, estando já reconciliados, seremos salvos pela Sua vida”. Rm. 5:10.

OBJETIVOS


1. Entender que a cura de relacionamentos rompidos faz parte do preparo para o derramamento do Espírito Santo.

2. Sentir o espírito perdoador, ao redescobrir a profundidade do perdão, compaixão e misericórdia de Cristo.

3. Aprender a perdoar os que nos ofenderam com a mesma atitude de perdão com que Jesus perdoa o pecador.

VERDADE CENTRAL


Ao apresentar relatos de relacionamentos restaurados a Palavra de Deus estabelece princípios bíblicos para lidar com os conflitos, entre eles, se destaca o perdão.

DOMINGO“Da ruptura à amizade”

Ao lidar com os muitos aspectos envolvidos na missão de pregar o evangelho, os seguidores de Cristo podem enfrentar dificuldades de relacionamento.

• Paulo e Barnabé, discutiram seriamente acerca de João Marcos que os havia abandonado no meio da primeira viagem missionária. (Atos 15:38)

• Enquanto Paulo considerava indesculpável a deserção de Marcos, e por isso não o considerava confiável, Barnabé considerava que o mesmo havia falhado por sua inexperiência mas deveria receber uma nova chance.

• João Marcos, mais tarde, se tornou um dos companheiros de confiança do apóstolo. Apesar dos desentendimentos no passado, ambos puderam ser úteis ao serviço de Deus trabalhando juntos.

SEGUNDA-FEIRA: De escravo a filho

Relacionamentos rompidos prejudicam o crescimento espiritual:

• O evangelho deve quebrar todas as distinções de classes. Principalmente entre patrões e empregados cristãos, deve existir uma atmosfera de respeito e irmandade.

• Quando guardamos mágoas ou relacionamentos amargurados, maculamos o nosso testemunho enquanto cristãos.

• Relacionamentos rompidos prejudicam o crescimento espiritual. Uma igreja não pode crescer enquanto não refletir a Cristo em seu modo de se relacionar.

TERÇA-FEIRA: Da competição para a integração

Relacionamentos rompidos prejudicam o crescimento espiritual:

• Jesus usa trabalhadores diferentes para realizar diferentes ministérios em Sua igreja. Devemos ter unidade na diversidade, respeitando o próximo e suas peculiaridades.

• Deus nos chama à cooperação, não à competição. Não há dons maiores ou menores. Todos são necessários na igreja de Cristo (1Co 12:18-23)

• Se entendermos que nosso trabalho complementa os esforços dos outros membros, haverá menos disputas na igreja e mais colaboração.

QUARTA-FEIRA: Do atrito ao perdão

A importância do perdão:

• Existe uma frase que diz: “se você não está disposto a perdoar, esteja pronto para nunca errar”. Da mesma forma que precisamos de perdão, devemos perdoar àqueles que nos ofendem.

• Perdão não depende necessariamente de merecimento. Nós somos perdoados por Deus, mesmo sem merecer, da mesma forma, às vezes teremos de perdoar ainda que a pessoal não mereça ou mesmo desejo perdão.

• Isso não justifica o comportamento da outra pessoa para conosco. O perdão é uma escolha. Quando perdoamos, talvez sejamos os maiores beneficiados, pois deixamos o fardo da mágoa e rancor para trás.

QUINTA-FEIRA:  Do rancor para a restauração

Princípios bíblicos para resolução de problemas:

• Os conflitos na igreja devem envolver a menor quantidade possível de pessoas. À medida que cresce o número de pessoas envolvidas em um conflito entre duas pessoas, mais contenda é criada.

• Quando os cristãos tentam resolver suas diferenças em particular, no espírito de amor cristão e de compreensão mútua, é criada uma atmosfera de reconciliação.

• O processo da reconciliação deve buscar unir as pessoas afastadas. Precisamos demonstrar amor e compaixão cristãos como conselheiros e companheiros de oração.

• Devemos sempre lembrar que o propósito de Cristo é a reconciliação. Não é culpar uma parte e isentar a outra. Ao tratarmos de um problema quer como testemunhas ou em comissões, devemos procurar ser imparciais e sempre buscar sempre a restauração, das pessoas e dos relacionamentos;

CONCLUSÃO


1. A maneira como nos relacionamos é um dos fatores que determinam nosso discipulado. Devemos tratar o nosso próximo como gostaríamos de ser tratados.

2. Jesus está interessado que sua igreja desfrute de relacionamentos saudáveis. Diferentes opiniões não devem ser motivo de divisão. Dentro da igreja deve haver unidade na diversidade.

3. Através do Espírito Santo, somos chamados a reparar e restaurar nossos relacionamentos. A cura de relacionamentos rompidos faz parte do preparo para o derramamento do Espírito Santo.

4. Se desejamos ser perdoados por Cristo, devemos estar dispostos a perdoar aqueles que nos ofendem. Quando perdoamos, somos os maiores beneficiados.

 Pr. Israel Cavalli
Capelão do Colégio Adventista de Porto Alegre - ASR

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

COMPARTILHE

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More