domingo, 25 de maio de 2014

Resumo da lição número 9 da Escola Sabatina

http://www.usb.org.br/admin/files/arquivos/746801eae52501ed52e63bb661bc0079.zip
CLIQUE NA IMAGEM ACIMA PARA BAIXAR O POWER POINT E O RESUMO EM WORD



TÍTULO: “Cristo, a lei e o Evangelho”

TEXTO-CHAVE:

“Pois a Lei foi dada por intermédio de Moisés; a graça e a verdade vieram por intermédio de Jesus Cristo.”. João 1:17

INTRODUÇÃO:

Martinho Lutero certa vez afirmou que “a lei descobre a doença. O evangelho dá o remédio”. A lei de fato não tem a cura, ela aponta para a cura. Nesta semana descobrimos que o remédio para a salvação é Jesus. O próprio Jesus se via como o cumprimento da lei. No Sermão do Monte, Ele revelou que estava por trás da Lei, e que esta era realmente a boa notícia de Deus. Nosso problema é que não podemos ver além do que vemos como exigências e não entendemos que a lei está descrevendo o interior do coração transformado pelo evangelho.

OBJETIVOS

1. Reconhecer que a lei e a graça trabalham juntos para revelar o plano de Deus para triunfar sobre o pecado.

2. Reconhecer o interesse apaixonado de Deus pela a humanidade.

3. Cooperar com Deus no envolvimento de compartilhar as boas novas com outros.

VERDADE CENTRAL

As manifestações da lei de Deus e Sua graça fornecem uma poderosa evidência de Seu amor pela humanidade e seu desejo de salvar-nos para Seu reino eterno.

DOMINGO: Pecado e a Lei

Qual é a relação entre a lei e o pecado? Por que temos a tendência de ver a lei e o evangelho em oposição?

• Em Romanos. 7:7-12 Paulo argumenta que, embora a lei não seja pecado, ela o condena. Como resultado, a lei não o mata, mas ilumina a sua condição fatal.

• Seguir os mandamentos de Deus é com certeza bom, mas nós ainda morreremos. Essa é a questão, não que seja ruim seguir a lei, mas ela não pode curar e salvar.

SEGUNDA-FEIRA: A lei e Israel

Qual é a relação entre a obediência e fé? A obediência fortalece a fé?

• Deus escolheu Israel para ser Seu representante. Israel seria o povo por meio do qual as nações da terra receberiam as bênçãos prometidas a Abraão, Isaque e Jacó.

• Sendo a nação escolhida, Israel precisava andar em harmonia com a vontade de Deus.

• Nenhuma nação na Terra cumpriu a vontade de Deus. Mesmo na história recente, nações que professam ser cristãs tem representando mal a causa de Deus com guerras e opressões.

TERÇA-FEIRA: A lei e as nações

Como as revelações da natureza demonstram o poder de Deus? Se não houvesse a revelação escrita, assim poderíamos ter acesso a salvação?

• Apesar do mal testemunho da nação de Israel, Deus não deixou as pessoas de outras nações sem uma testemunha.

• Deus deixou a revelação natural, o divino livro da natureza é suficiente para conduzir pessoas até Ele.

• Muitas pessoas sentem um vazio no coração que somente Deus pode preencher. Nada neste mundo pode satisfazer este vazio.

QUARTA-FEIRA: Graça e Verdade

Como podemos melhor ilustrar como a lei e o evangelho trabalham juntos? Como Jesus explicou a situação para as pessoas em Seus dias?

• De acordo com João 1:17: "Pois a Lei foi dada por intermédio de Moisés; a graça e a verdade vieram por intermédio de Jesus Cristo." Este verso resumo a essência da história da salvação.

• Quando Jesus andou nesta Terra, Ele voluntariamente se submeteu a vontade de Deus Pai, e escolheu não pecar.

• O dom que Jesus dá à humanidade é a vida eterna. A graça não apenas nos livra da condenação da lei, mas nos capacita a guardar a lei da maneira que somos chamados a fazer.

QUINTA-FEIRA: A Lei e o Evangelho

Qual é o problema de ignorarmos um aspecto ou exagerar em outro? Isso é uma questão de equilíbrio ou de integração? Qual é o efeito do pecado em nossas vidas? O que é o evangelho?

• O próprio Jesus se via como o cumprimento da lei. No Sermão do Monte, Ele revelou que estava por trás da Lei, e que esta era realmente a boa notícia de Deus. Nosso problema é que não podemos ver além do que vemos como exigências e não entendemos que a lei está descrevendo o interior do coração transformado pelo evangelho.

• O evangelho é sobre uma pessoa; um Deus que te ama, a quem você ama e que quer amar todos as Suas crianças desencaminhadas e desastradas. A boa notícia não deve ser comparada a uma vida saudável, a uma comunidade solidária ou qualquer outra coisa, contudo pode ser comparada a uma vida louvável. Não se trata de igreja. Ou de nós mesmos. Mas sim de Deus.

CONCLUSÃO

1. É aí que a lei e o evangelho combinam. Pois o coração da mensagem e da missão vem de Deus e é sobre Ele, acima de tudo isso é Deus revelando-se no grande conflito e nos salvando durante o processo. A lei é um tribunal de justiça, mas o evangelho é um trono de graça.

2. As palavras de Deus para nós são uma mensagem total e completa e não tenta dividir a lei e o evangelho. É verdade que a lei não pode nos salvar. Nem qualquer quantidade da pregação do evangelho. É Deus que nos salva, e precisamos aceitar a Sua salvação e a reconhecermos que são todos os elementos de Deus refletir seu personagem cativante.

3. Os que aceitam Seu evangelho, contemplam-nO de rosto descoberto. Veem a relação de sua missão para com a lei, e reconhecem a sabedoria e glória de Deus, tais como são reveladas pelo Salvador. A glória de Cristo revela-se na lei, que é uma transcrição de Seu caráter, e Sua transformadora eficácia é sentida na alma, até que os homens se transformem em sua semelhança. São feitos participantes da natureza divina, e tornam-se mais e mais semelhantes ao seu Salvador, caminhando passo a passo em conformidade com a vontade de Deus, até alcançarem a perfeição. A lei e o evangelho estão em perfeita harmonia. (White, Ellen. Exaltai-o, p. 163)

Everaldo Carlos
Distrito Planta São Marcos
Associação Sul Paranaense

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

COMPARTILHE

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More